Ator de O Legado de Júpiter reclama de cenas de luta: “Tediosas”

Série de heróis da Netflix também sofreu críticas por esses momentos, mas por motivo diferente

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As cenas de luta de O Legado de Júpiter causam diferentes reclamações na Netflix. Os fãs as criticam por parecem de baixo orçamento.

Enquanto isso, o protagonista Josh Duhamel, o Utópico do seriado, reclama delas por razões pessoais. O famoso simplesmente não gosta de gravar cenas de ação por achar elas “tediosas”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em uma coletiva de imprensa, como informado pelo Digital Spy, o astro foi questionado sobre uma das grandes lutas na Netflix. Duhamel foi sincero sobre a gravação.

“Para ser honesto, não são minhas coisas favoritas para se fazer. Eu prefiro estar com meu psicólogo, sentado e conversando sobre algo como, ‘Como consigo me entender com minha filha de 20 anos?’. Porque você fica naquele traje todo dia. Você filma em pequenas partes e quando você está (ator faz um barulho estranho com o nariz) é porque você se cansou. Depois, você senta e espera por outra parte”, declarou o ator.

Porém, o protagonista de O Legado de Júpiter compartilhou o lado positivo. Ao contrário de alguns fãs, Duhamel adorou o resultado final na Netflix.

“Quando tudo fica pronto, é divertido e muito lindo. Mas, gravar não é divertido porque é um processo tedioso”, completou o famoso.

O Legado de Júpiter na Netflix

A série é uma das produções da plataforma baseadas nas obras de Mark Millar. As estrelas de O Legado de Júpiter são Josh Duhamel (Transformers) e Leslie Bibb (Homem de Ferro).

O elenco traz ainda nomes como Ben Daniels (The Crown), Elena Kampouris (Sacred Lies), Andrew Horton (Doctors) e Mike Wade (Timeless).

Nela, Josh Duhamel vive Sheldon Sampson (Utópico), o líder dos heróis do The Union. Uma descrição afirma que “os tempos mudaram, e ele não entende mais o mundo em que vivemos. Ou a sua própria família”. Enquanto isso, Leslie Bibb é Grace, a esposa do Utópico, conhecida como Lady Liberdade, que é a heroína mais forte do planeta.

Já Ben Daniels, outro importante nome do elenco, será Walter, o irmão mais velho de Sheldon. O Onda Cerebral é “um homem de vasta inteligência e astúcia que, ao contrário de Sheldon, não tem medo de sujar as mãos. Nem com sangue”, conforme descrição da Netflix.

Os filhos dos heróis Sheldon e Grace, Chloe e Brandon, são vividos respectivamente por Elena Kampouris e Andrew Horton. Chloe é descrita como uma rebelde, que “rejeita” o que os pais representam e “construiu o seu próprio caminho hedonista”. Enquanto isso, Brandon treina para assumir o manto do Utópico e a liderança da União.

Mike Wade é Fitz Small, o Clarão. O herói sofreu uma grave lesão que o tirou dos campos de batalha. No entanto, é o membro mais precioso da União e que mantém todos unidos.

O vilão da trama é George Hutchence, vivido por Matt Lanter. O personagem é conhecido como Skyfox, tendo sido o melhor amigo e aliado de Sheldon, que acaba se voltando contra a União e se tornando o maior supervilão do mundo. A descrição da série adianta que o Skyfox “planeja se vingar dos companheiros que acredita tê-lo traído”.

“Um épico americano de super-heróis, O Legado de Júpiter acompanha a primeira geração de super-heróis do mundo que recebeu seus poderes em 1930. Hoje são anciãos reverenciados, mas seus filhos superpoderosos lutam para estar à altura dos feitos lendários de seus pais”, indica a sinopse.

O Legado de Júpiter está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio