Netflix previu como redes sociais acabam com a humanidade

Episódio de Black Mirror tem muitas semelhanças com os dias atuais

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Lançado originalmente pela Channel 4 em 2011, Black Mirror surpreendeu fãs de TV com histórias chocantes, que apresentam o lado mais obscuro da tecnologia e com isso, da humanidade.

A série passou a ser produzida exclusivamente pela Netflix a partir de sua quarta temporada. Mesmo assim, a produção conseguiu manter o estilo subversivo e intenso de seus primeiros lançamentos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na primeira temporada produzida pela Netflix, a série exibiu um episódio que pode representar um futuro próximo para as redes sociais – e acabar com a humanidade.

O site CBR falou sobre o assunto; confira abaixo!

Black Mirror previu o futuro?

Na terceira temporada de Black Mirror, o episódio mais conhecido é “Nosedive”, uma história individual focada na protagonista de Bryce Dallas Howards – que vive em um futuro onde todas as pessoas dão notas às interações sociais em um aplicativo à lá Tinder ou Instagram.

Nesse estranho mundo, os usuários com maior ranking – normalmente as elites econômicas e influencer – podem modificar de maneira importante o ranking de cidadãos mais simples, para o bem e para o mal.

As pessoas com os piores rankings são vistas como párias sociais, jogadas à margem da civilização e normalmente morrendo à míngua, solitários e desequilibrados.

Na trama de Nosedive, a protagonista Lacie deseja acima de tudo aumentar seu ranking para 4.2, e assim conseguir aprovação para o financiamento de uma casa em uma vizinhança luxuosa.

Para aumentar a nota, a personagem tenta participar do casamento de uma amiga famosa e discursar como dama de honra.

A série retrata um mundo triste, no qual Lacie começa a ignorar todas as pessoas vistas como “indignas”, ao mesmo tempo em que “puxa o saco” daqueles com as maiores notas na sinistra rede social.

A vida real, hoje em dia, não é tão diferente da trama de Nosedive. Pessoas têm acesso negado a lojas, restaurantes e vizinhanças por preconceitos arraigados na sociedade, enquanto pessoas privilegiadas surfam pela vida sem nenhum esforço.

Lacie não consegue acordar de sua lavagem cerebral mesmo quando uma caminhoneira (vivida por Cherry Jones) conta que seu marido não recebeu um vital tratamento contra o câncer por ter nota 4.5, não 4.6.

No final do episódio, Lacie chega ao casamento suja e desarrumada, após sofrer na estrada para alcançar o local. A personagem finalmente diz o que pensa, e acaba presa como “desajustada e subservida”.

O episódio termina com Lacie xingando e sendo xingada por um companheiro de prisão. Ou seja, o preço da liberdade, no final das contas, foi a prisão.

Todos os episódios de Black Mirror estão disponíveis na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio