Publicidade

Concorda?

Astro de Cobra Kai detona filmes da Marvel: “Me incomoda”

Ralph Macchio criticou um detalhe envolvendo as cenas de luta nos filmes de super-heróis

Publicado por Victor Carvalho

25/06/2021 07:00

Ralph Macchio não é um sensei de caratê na vida real, mas interpreta um em Cobra Kai. Ele tem alguma experiência com lutas como o astro dos três primeiros filmes de Karatê Kid. Então, quando ele tem alguma objeção às cenas de luta de super-heróis da Marvel, isso vem da experiência.

Em uma entrevista recente ao The Wrap (via Cheat Sheet), Macchio explicou o que torna as cenas de luta em Cobra Kai tão eficazes. Isso também levou ao que Macchio acha que não funciona nos filmes da Marvel ou em outros filmes de super-heróis.

Filmes de super-heróis têm muitas cenas de luta, e a maioria dos super-heróis tem mais movimentos do que o ser humano médio. Ainda assim, quando Macchio os observa, ele não pode segui-los tão bem quanto as lutas em Cobra Kai.

“A edição é musical”, disse Macchio ao The Wrap.

“Há um ritmo e uma música na edição, mesmo na forma de roteiro e texto. E nas sequências de ação, realmente há um elemento musical nisso.”

“Quando você corta tanto quanto você faz com todo o CGI, com Superman, Homem de Ferro ou o Batman lutando, há um elemento que fica quase piscando, porque você fica em estado de choque com luzes, sons e cortes. Posso mencionar vários filmes de super-heróis que se encaixam nisso, apesar de gostar muito deles.”

Crítica aos filmes de super-heróis

Vingadores: Guerra Infinita tem todos os super-heróis do MCU em batalha. Da mesma forma, Batman vs Superman: A Origem da Justiça e Liga da Justiça também. Mesmo com todo esse poder, um pensamento muito simples atrapalha as cenas de luta.

“Os espaços mudam tão rapidamente que às vezes você nem sabe onde está geograficamente na cena”, disse Macchio.

“E é isso que me incomoda, como uma pessoa velha. Perco a geografia de onde estou com coisas que estão tão jogadas na sua cara e cortadas demais. É bom saber quem está parado de que lado da linha e observar a fluidez do movimento. É musical, de certa forma. É uma dança.”

Cobra Kai não tem tanto tempo quanto os filmes de grande orçamento para filmar cenas de luta. Ainda assim, eles demoram tanto quanto possível e mantêm a edição sob controle.

“Há cortes, certamente. Mas não são onerosos”, disse Macchio.

“Na verdade, Cobra Kai fez uma boa quantidade de golpes em algumas das grandes sequências em que a câmera não corta. É como se a câmera ficasse estabilizada, mas há algo musical nisso. Quando um movimento está acontecendo, qualquer tipo de movimento, a câmera fica focada nele.”

“Nos musicais da MGM, por exemplo, Fred Astaire faz todos os seus movimentos em sequência. É como uma cena só, sem cortes.”

No Brasil, Cobra Kai está agora disponível na Netflix.

Publicidade