Na Netflix? Ninguém aguenta ver série perturbadora até o fim

Violência gráfica em Them, da Amazon Prime Video, é alvo de críticas

Publicado em 20/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Atenção! Contém spoilers da série Them.

Procurando se manter na dianteira do concorrido mercado das plataformas de streaming, a Netflix procura lançar séries e filmes de qualidade toda semana. A empresa se destaca no gênero terror – mas não conta com uma das produções mais perturbadoras de 2021.

A série Them foi lançada pelo Amazon Prime, e desde então vem causando grandes debates na crítica especializada. Alguns, chamam a série de “o maior evento de terror do ano”, e outros condenam a produção por suas exageradas cenas de violência gráfica.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O debate sobre a violência de Them é bastante complicado, e envolve conceitos como racismo, representatividade, crueldade e a intenção de “chocar por chocar”.

Confira abaixo alguns dos principais argumentos sobre a discussão!

A trama de Them

Ambientada em um período de 10 dias nos anos 50, Them é uma série antológica – no estilo de American Horror Story – que acompanha a história da família Emory, que se muda da Califórnia do Norte para uma vizinhança branca em Los Angeles.

Ao se mudar para a aparentemente belíssima nova casa, a família rapidamente percebe que está em maus lençóis.

Os personagens começam a sofrer com o abuso racista dos vizinhos e, com o passar do tempo, descobrem que a suposta casa dos sonhos guarda um segredo terrível, que poderia ter vindo dos pesadelos mais terríveis.

É nesse cenário que a família Emory precisa travar uma guerra dupla: contra as forças sobrenaturais da casa e contra os vizinhos racistas.

Cenas brutais

Them é uma série de terror. Na maior parte, espera-se uma boa dose de violência nas produções do gênero. O problema da produção é na verdade a maneira como essa brutalidade é apresentada – sempre de forma extremamente gráfica e chocante.

Segundo diversos críticos de cinema e apresentadores, Them “exagerou” nas cenas de violência. Os momentos chocam o público, e muita gente não conseguiu nem terminar de assistir à série após um momento do quinto episódio.

Em “Covenant: Parte 1”, o quinto episódio de Them, a série traz uma das cenas mais brutais já vistas na TV.

Lucky, a personagem da excelente Deborah Ayorinde é violentamente estuprada por um grupo de homens brancos, enquanto seu bebê Charlie é colocado em um saco e massacrado.

A direção da cena é desconcertante. As imagens não poupam o público, e todos os detalhes da violência são mostrados em uma sequência que parece interminável.

E segundo várias críticas, esse é exatamente o problema de Them. A série não diz nada de novo com a representação da violência racista. Pelo contrário, a produção parece se vangloriar demais de seu nível de sangue e brutalidade.

“Se esse tipo de arte não diz nada de novo ou diferente sobre a trajetória das pessoas negras na América, arrisca se tornar nada mais do que uma ‘pornografia de trauma’. Afinal de contas, nós precisamos mesmo de mais imagens de pessoas negras morrendo brutalmente?”, questiona a resenha da jornalista Lovia Gyarkye no site The Hollywood Reporter.

Them falha ao reduzir os corpos negros a receptáculos de violência, no protagonismo de algumas das cenas mais aterradoras da TV.

Em uma matéria para o site a revista Variety, a jornalista Angelia Jade Bastién classificou Them como “uma verdadeira pornografia de degradação”, criticando duramente a maneira como a série aborda os atos de violência.

Them é uma incrível refutação da crença de Hollywood de que a representatividade na frente e por trás das câmeras é capaz de consertar seu inerente racismo”, afirma a crítica da Variety.

Vale lembrar que Them foi criada por Little Martin e produzida por Lena Waithe, ambos profissionais afro-americanos.

“Posso dizer com certeza que Them é uma das obras mais anti-black da cultura pop nos últimos anos”, opina a publicação.

A maneira como a série aborda os atos racistas dos vizinhos da Família Emory também foi muito criticada pelos mesmos motivos: ser extremamente gráfica e ao mesmo tempo não dizer nada de novo.

Them é obcecada em mostrar a depravação do racismo em termos extremos. Mas não considera o quão danoso é o uso dessa linguagem e estética não apenas para os personagens da série, mas também para as pessoas negras na audiência – que compreendem essa violência em um nível íntimo e visceral”, explica Angelica Rose em sua matéria.

Ao mesmo tempo, a série não apresenta nenhuma perspectiva moderna sobre o comportamento das pessoas brancas, repetindo apenas os mesmos clichês já tão conhecidos pelo público em geral.

É claro que certos racistas são explícitos em seu ódio, e outros escondem a intolerância por trás de uma fachada de educação – sem refletir como o horror do racismo penetra e integra a cultura geral.

Em uma entrevista ao site Los Angeles Times, o produtor Little Marvin falou sobre sua intenção em mostrar cenas tão terríveis de maneira tão brutal.

“Sempre quis criar uma cena que ultrapassasse os limites da tela, pegasse o espectador pelo pescoço e o forcasse a lidar com a história de violência contra os Corpos Negros nesse país. Se eu fizesse isso de uma maneira tradicional– como um ato de violência policial ou uma narrativa de escravidão – diriam que ‘já tinham visto isso antes’. Mas essa cena é tão abominável que desafia o espectador a vê-la dessa maneira”, comentou o produtor.

A dúvida que fica, de acordo com a crítica de Angelica Rose, é “que tipo de espectador Little Marvin quer conquistar”.

Quem é essa pessoa que só entende ou cria empatia os horrores do racismo ao ser confrontada com uma cena tão desnecessariamente brutal? É por essas e outras que Them foi classificada como “pornografia de trauma” por tantos especialistas.

“Na verdade, ao mostrar exemplos tão extremos de racismo, Them oferece uma certa distância ao público branco, o que permite uma espécie de absolvição. Little Marvin e Lena Waithe, não estão interessados em desafiar o status quo – já que agora fazem parte dele. Com isso, eles apenas usam a dor dos negros para ganhar mais dinheiro”, concluiu a resenha do site da Variety.

A primeira temporada de Them está disponível no Amazon Prime Video.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio