Sweet Tooth: Netflix pode ter mostrado a cura e fãs não notaram

Teoria afirma que as flores roxas são a chave para a salvação da humanidade

Publicado em 10/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sweet Tooth é ambientada em um futuro pós-apocalíptico marcado por modificações biológicas. A trama estreou recentemente na Netflix e conquistou rapidamente fãs no mundo inteiro, figurando no Top 10 de diversos países.

Na trama, a humanidade é quase destruída por um vírus terrível, que começa a ser transmitido na mesma época em que híbridos de humanos e animais passam a aparecer no mundo todo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A história é protagonizada por Gus, um tímido e ingênuo garoto metade humano e metade cervo, que vive nas florestas de Nebraska com o pai doente e instável.

Quando seu pai finalmente sucumbe à enfermidade, Gus fica completamente sozinho no mundo, e é quase sequestrado por um grupo de humanos perigosos – até ser salvo pelo misterioso andarilho Jepperd.

A série pode ter revelado a cura do vírus sem que os fãs percebam! Confira abaixo tudo sobre essa história.

As flores roxas em Sweet Tooth

As flores roxas são introduzidas no terceiro episódio de Sweet Tooth. Gus e Tommy avistam uma cidade pequena coberta pela vegetação, com um sinal de perigo alertando os passantes.

Tommy explica para Gus que essas flores são sinais da doença que assola o mundo, que aparecem como uma espécie de presságio da enfermidade.

Até mesmo Bear, que adora a natureza, acredita que as flores roxas são perigosas. Quando a personagem, Tommy e Gus são obrigados a cruzar o Vale do Sofrimento – um grande campo de flores roxas – ela descreve o local como tóxico.

Ou seja, em todos os lugares, as pessoas consideram que esse tipo de vegetação é perigosa, tóxica e potencialmente mortal.

No entanto, quando Gus cai no Vale do Sofrimento, o único efeito do pólen das flores é a presença de sonhos vívidos.

E se as flores não forem perigosas, mas na verdade a chave para a salvação da humanidade?

O poder das flores da Netflix

Como as flores roxas aparecem ao mesmo tempo que o vírus H5G9 e as crianças híbridas, podemos concluir que elas estão realmente ligadas aos micróbios que Birde estava analisando em seu laboratório.

Os três fenômenos inclusive podem ser causados pelo mesmo micróbio, apresentando efeitos diferentes para humanos, fetos e plantas.

Antes de descobrir as pesquisas de Birdie sobre as origens de Gus, Bear acredita que os híbridos e o vírus são a maneira do planeta atenuar as forças destrutivas da humanidade: diminuindo a população e criando híbridos que podem viver em harmonia com a natureza.

Enquanto o Grande Desmoronamento foi realmente criado por cientistas em um laboratório, em vez de pela natureza em si, partes da teoria de Bear ainda podem ser comprovadas.

O propósito da doença pode ter sido a diminuição da população para um número sustentável, e as flores podem ter sido a garantia da sobrevivência da humanidade.

O tratamento temporário criado pela Dra. Bell para Rani usa extratos da glândula pineal e medula óssea de crianças híbridas. Se o vírus, os híbridos e as flores vêm da mesma fonte microbiana, as próprias plantas podem providenciar uma cura mais permanente.

De maneira alternativa, as flores também podem guardar o segredo da criação da vacina, que por sua vez poderia proteger o resto da população humana do vírus.

O fato das flores roxas supostamente representarem a chave para a salvação da humanidade se encaixaria perfeitamente nos temas de Sweet Tooth, como o poder da natureza e a força destrutiva da humanidade.

A primeira temporada de Sweet Tooth já está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio