Fãs apontam erro histórico em Outlander

Julgamento de Geillis Duncan por bruxaria não deveria ter acontecido na série da Netflix

Publicado em 20/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Outlander é bastante conhecida por seu nível considerável de veracidade histórica, principalmente na área dos figurinos e cenários. Mesmo assim, fãs apontaram um erro da produção, especificamente na cena do julgamento de Geillis Duncan, que acontece na primeira temporada da série.

Mesmo sendo a esposa do influente promotor fiscal Arthur Duncan, Geillis acabou acusada de bruxaria, sendo obrigada a participar de um traumático julgamento.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

É nesse julgamento que Claire Fraser descobre que Geillis também era uma viajante no tempo, que utilizava sacrifícios para transitar entre os diferentes anos.

Confira abaixo tudo que você precisa saber sobre o suposto erro histórico que acontece na primeira temporada de Outlander.

O erro histórico de Outlander

No julgamento de Geillis Duncan, a personagem de Lotte Verbeek, por bruxaria, Claire descobre alguns aspectos bastante importantes de sua nova amiga.

Nesse momento, um fã descobriu uma grande imprecisão histórica na trama de Outlander, e compartilhou a descoberta em um artigo publicado pelo site Screen Rant.

“No final do episódio, Claire e Geillis são presas por praticar bruxaria. As personagens são colocadas no ‘covil dos ladrões’, e aguardam julgamento e uma possível execução no local” explica o fã sobre a cena.

Para salvar Claire, Geillis afirma estar carregando “a criança do Diabo”, assumindo assim seus trabalhos de bruxaria para a população supersticiosa.

Vale lembrar que a primeira temporada de Outlander é ambientada no ano de 1743, o que acaba influenciando na realização do julgamento.

“Como a primeira temporada de Outlander é ambientada em 1743, o julgamento é muito estranho. Afinal de contas, a última execução de uma suposta bruxa na Escócia aconteceu em 1707, uma geração anterior a dos personagens da série”, comentou o fã observador.

Ou seja, o julgamento de Geillis e Claire não aconteceria dessa forma na vida real, já que na época a Escócia já não realizava esse tipo de processo.

“O último julgamento de bruxas na Escócia aconteceu muito antes de 1743”, afirmou o fã.

Além disso, a população escocesa que costumava se envolver nos julgamentos de bruxas não era exatamente a mesma que Claire encontrou em sua viagem no tempo.

“Quem costumava participar de caça a bruxas eram os escoceses da parte mais baixa. Eventos do tipo quase não aconteciam na região das Highlands, onde a trama da série é ambientada”, comentou o especialista.

Após o julgamento, os espectadores descobrem que Geillis não era má, mas que confessou os supostos crimes para salvar Claire e evitar a execução da amiga

As 5 primeiras temporadas de Outlander estão disponíveis na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio