Publicidade

Detonada

Nova série de terror da Netflix está dividindo opiniões

Resident Evil: No Escuro Absoluto é criticada por tom, ritmo, duração e enredo

Publicado por Alexandre Guglielmelli

13/07/2021 21:15

Recém-chegada na Netflix, a série animada Resident Evil: No Escuro Absoluto. Com a trama ambientada na icônica franquia de games, a produção falhou em conquistar uma boa parte do público e da crítica especializada, conseguindo apenas 50% de aprovação no Rotten Tomatoes.

O nível mediano de aprovação crítica é mais uma prova da polarização dos fãs de Resident Evil. Alguns gostaram muito da produção, e outros simplesmente detestaram a trama de Leon e Claire.

Vale lembrar que No Escuro Absoluto é um projeto completamente diferente da série live-action de Resident Evil produzida atualmente pela Netflix, que trará Lance Reddick (John Wick, American Horror Story) como o vilão Albert Wesker.

O site PopCulture revelou a opinião da imprensa especializada sobre Resident Evil: No Escuro Absoluto; confira abaixo.

A recepção crítica de Resident Evil: No Escuro Absoluto

Entre os principais aspectos criticados de Resident Evil: No Escuro Absoluto, destaca-se o ritmo da série.

“O projeto se descreve como uma minissérie. Mas é na verdade um filme dividido em 4 partes. Você precisa estar bastante investido na trama dos games para gostar da produção”, afirma o crítico Austin Jones, da Paste Magazine.

As sequências de ação da série foram elogiadas, mas não conseguiram compensar os outros “pecados” da produção.

“A ação é sólida, mas nada impressionante. As coreografias são definitivamente melhores que as dos filmes animados de Resident Evil”, comenta John Nguyen, do Nerd Reactor.

Outro aspecto criticado da série é a grande presença de clichês dos jogos, principalmente comparada às outras produções animadas da Netflix.

“É interessante conferir esse tipo de animação, mas a história é simplesmente clichê demais. E não é tão boa como as outras séries animadas adultas disponíveis na Netflix”, afirma o site Behind the Trailer.

Segundo uma espécie de consenso entre os críticos, o grande problema de Resident Evil: No Escuro Absoluto é o tom da série, e a dificuldade de conquistar pessoas que não conhecem os games a fundo.

“O problema principal é o tom. Resident Evil: No Escuro Absoluto está entre o quarto e o quinto jogos, mas o relacionamento do público com a franquia mudou drasticamente desde o lançamento destes”, analisa Jonathan Wilson, do Ready Steady Cut.

Na mesma resenha, o jornalista também critica a duração e o ritmo dos episódios.

“O segundo problema é a duração, tanto da temporada quanto dos episódios individuais. Os pontos baixos superam os pontos altos, o que leva a uma experiência inconsistente nos quesitos de tom, enredo, animação e foco nos personagens”, conclui o comentário.

James “Magic” Perkins chamou a nova produção da Netflix de “um desapontamento geral”, e criticou a série por “ser repleta de clichês e momentos mornos”.

Nem todas as críticas, no entanto, foram negativas. No entanto, até mesmo os comentários positivos apontaram o que precisaria ser melhorado na produção.

“Ninguém vai confundir Resident Evil: No Escuro Absoluto com uma obra de arte, com certeza. Mas o que não funciona nos filmes de Milla Jovovich, acaba funcionando nessa série da Netflix”, afirma a resenha do jornalista Sam Barsanti.

Resident Evil: No Escuro Absoluto já está disponível na Netflix.

Publicidade