Mais do que você gosta.

Publicidade

Suposta difamação

Antigo sucesso da Netflix vira alvo de processo nos EUA

Ex-promotora retratada em Olhos que Condenam alega ter sido alvo de difamação

Publicado por Guilherme Coral

19/08/2021 12:07

Um juiz federal determinou que Linda Fairstein, ex-promotora que fez parte da promotoria de Manhattan quando os “cinco do Central Park” foram julgados, pode abrir processo contra a Netflix. Ela alega ter sido difamada pela minissérie Olhos que Condenam.

Olhos que Condenam conta a história de cinco adolescentes negros, que foram erroneamente julgados como culpados de terem estuprado e espancado uma mulher que corria no Central Park em 1989.

Continua depois da publicidade

Fairstein alega ter sido difamada porque a forma que ela foi retratada não foi precisa. O processo foi aberto em março de 2020. Ela foi interpretada por Felicity Huffman na série.

“A série retrata Fairstein como a arquiteta de várias teorias da culpa dos cinco e, por meio das cenas finais da série, ela permanece persuadida de seu envolvimento em face das provas compensatórias “, observou o juiz distrital dos Estados Unidos Kevin Castel em sua decisão.

“Fairstein alega que quase todas as cenas que a representam são uma invenção, que a apresenta sob uma luz falsa e difamatória”.

Advogado comemora decisão

Andrew Miltenberg, advogado de Fairstein disse estar satisfeito com essa determinação do juiz, de que ela poderá abrir um processo contra a Netflix, a diretora Ava DuVernay e contra a roteirista Attica Locke.

“A decisão do juiz Castel reconhece o que afirmamos desde o início, que os espectadores de Olhos que Condenam acreditam que a representação totalmente falsa e difamatória dos réus da Sra. Fairstein como ‘uma vilã central’ em Olhos que Condenam tem um base na verdade “, disse ele.

Um representante da Netflix disse à CNN que a companhia vai continuar a “vigorosamente defender” Olhos que Condenam e a equipe por trás da série.

A minissérie está disponível na Netflix.

Publicidade