Série com atriz de Grey’s Anatomy é o melhor drama de 2021 na Netflix

The Chair, com Sandra Oh, aborda temas importantes com leveza e bom humor

Publicado em 24/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

The Chair, a mais nova dramédia da Netflix, tem tudo para se estabelecer como uma das melhores produções originais da plataforma em 2021. Protagonizada por Sandra Oh, a Cristina Yang de Grey’s Anatomy, a série já conquistou o coração da crítica especializada, além de fazer grande sucesso com o público.

Criada pela atriz Amanda Peet (Dirty John) e a roteirista acadêmica Annie Wyman, The Chair poderia ter sido facilmente uma peça de teatro. Afinal de contas, Peet já escreveu duas produções do gênero.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A estrutura da série – de sua introdução à complicação e catástrofe – se relaciona com as regras da Pirâmide de Freytag, um modelo narrativo dividido em 5 etapas.

O site The Atlantic fez uma ótima análise sobre a trama de The Chair na Netflix; confira abaixo.

Conheça The Chair na Netflix

No primeiro episódio de The Chair, a protagonista Ji-yoon Jim (interpretada por Sandra Oh), havia acabado de atingir o ápice de sua carreira no departamento de inglês da Universidade de Pembroke.

O problema é que o colégio em questão está em crise. O departamento de inglês, em especial, perde uma grande quantidade de matrículas. O principal motivo é a falta de conexão entre os professores titulares do colégio, a maioria idosos, e os alunos progressistas.

Em seu primeiro dia, Ji-yoon é instruída pelo reitor a demitir uma das professoras mais velhas de Pembroke (Joan, interpretada por Holland Taylor) e o antiquado Elliot, interpretado por Bob Balaban.

Para piorar ainda mais a história, um dos professores mais populares da instituição se envolve em uma grande polêmica ao ser flagrado fazendo uma saudação nazista (ironicamente) em sala de aula.

Um dos grandes trunfos da série é satirizar “ambos os lados”, resistindo a ridicularizar opiniões e se apoiar em estereótipos para produzir um humor fácil e abrangente.

O roteiro de The Chair é elegante e rápido, analisando as principais razões pelas quais alunos jovens não criam conexões expressivas com os professores. O embate entre gerações, mesmo não sendo o principal tema da série, se estabelece como uma grande força narrativa.

A série também se destaca pela maneira como aborda a vida pessoal da protagonista Ji-yoon. Com 40 e poucos anos, separada e em um dos momentos mais complicados de sua vida profissional, a personagem cria a filha adotiva Ju-Hee – batizada com o nome da falecida mãe da personagem de Sandra Oh.

Um dos aspectos mais elogiados de The Chair é seu roteiro, descrito como “rápido e voraz”, “adulto”, “maduro” e “muito bem construído” por publicações especializadas.

Embora a divisão entre as gerações pareça impossível de ser superada, a série sugere que em pelo menos uma coisa, todos podem concordar: devemos sempre lutar pela arte, linguagem e literatura, qualquer que seja seu significado.

The Chair já está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio