Publicidade

Controvérsia

Astros de La Casa de Papel são cancelados por comentários polêmicos

Elogios de atores ao estado de Israel provocaram boicotes à Netflix

Publicado por Alexandre Guglielmelli

10/09/2021 19:30

A primeira parte da 5ª e última temporada de La Casa de Papel não demorou nem 24 horas para figurar no topo do ranking da Netflix. O que deveria ser apenas um momento de celebração, no entanto, acabou maculado por uma polêmica causada por comentários do elenco sobre o estado de Israel. As declarações chegaram a provocar pedidos de boicote à produção espanhola.

Segundo diversos veículos de mídia árabes, vários atores da série participaram de uma ação promocional da emissora israelense Channel 12 para divulgar a temporada final da série.

Atores como Darko Peric, o intérprete de Helsinki, teceram elogios para a nação israelense. A declarações provocaram controvérsia em países árabes e entre espectadores que apoiam a luta da Palestina contra a ocupação.

O site The Tribune falou mais sobre a controvérsia; confira abaixo e tire suas próprias conclusões.

A polêmica internacional de La Casa de Papel

Tudo começou quando Darko Peric, o intérprete de Helsinki, foi perguntado sobre sua visita mais recente a Israel. O ator não poupou elogios para a nação, e afirmou ter adorado sua estadia no país.

“Foi uma experiência maravilhosa! Espero poder voltar em breve. Sei que temos muitos fãs aqui, e o povo é ótimo. Quando viajam para Israel, as pessoas sempre falam sobre a segurança restrita e as medidas policiais, mas quando cheguei, até a polícia quis tirar foto comigo”, comentou o ator.

Hovik Keuchkerian, que em La Casa de Papel dá vida a Bogotá, também compartilhou seu amor por Israel, afirmando que só ouviu “coisas maravilhosas” sobre o país.

O ator também elogiou Fauda, uma série israelense sobre uma unidade militar infiltrada, cujos soldados participam de missões nos territórios palestinos disfarçados de árabes.

Também da Netflix, a série já havia sido bastante criticada por ativistas, sendo acusada de “transformar o sofrimento do povo palestino em entretenimento”.

Após a entrevista à TV israelense viralizar, muitos internautas utilizaram as redes sociais para pedir um boicote à série.

“Enquanto milhões de fãs esperam ansiosamente pela conclusão de La Casa de Papel, atores da série aparece em um canal israelese expressando seu apoio à ocupação e celebrando atividades criminosas contra o povo palestino”, explicou uma das postagens.

Muitos usuários do Twitter também pressionaram Alba Flores, a intérprete de Nairobi, a se posicionar contra Israel e a favor da Palestina.

A atriz já havia manifestado solidariedade ao povo palestino durante aos ataques de Israel à Faixa de Gaza em maio de 2021, que resultaram na morte de pelo menos 248 pessoas.

“Não existem justificativas para um massacre. Todo nosso apoio para o povo palestino”, comentou a atriz, na época.

A polêmica aconteceu principalmente com os fãs árabes de La Casa de Papel, não chegando a penetrar a esfera de assinantes internacionais da Netflix.

“O elenco da série deveria parar de mostrar apoio para um estado de apartheid, que mata palestinos, destrói suas casas e rouba suas terras”, comentou outro internauta.

A temporada final de La Casa de Papel já está disponível na Netflix.

Publicidade