Publicidade

Polêmica

Com série no Prime Video, Maradona é acusado de abuso e agressão por ex

Série do Amazon relembra vida do ex-jogador de futebol, que volta a ser notícia por vida pessoal conturbada

Publicado por Bruno Tomé

31/10/2021 18:00

Diego Maradona ganhou uma série no Amazon Prime Video no final de semana que faria 61 anos – o ex-jogador de futebol nasceu em 30 de outubro. Mas, o argentino vira polêmica por acusação de abuso e agressão de menor de idade.

Maradona: A Conquista de um Sonho (também encontrada com o subtítulo Sonho Bendito) se viu no meio dessa polêmica, com alguns internautas fazendo campanha para que assinantes do Prime Video não vejam o seriado.

O motivo é justamente a acusação da cubana Mavys Alvarez. Morando em Miami, a mulher de 37 anos deu uma entrevista a uma emissora local relembrando como foi a relação com Diego Maradona em Cuba, que começou quando ela tinha 16 anos.

Em 2000, Mavys foi abordada por um amigo de Maradona na rua. O ex-atleta argentino, naquele ano, estava internado na Clínica La Pradera, de Havana. O jogador tentava tratar o vício em drogas.

Mavys foi apresentada ao atleta como uma surpresa – até para entrar na clínica, fizeram com que ela se passasse como italiana.

“O Diego chegou logo depois e ficamos conversando. Ele se surpreendeu quando me viu, não esperava nenhuma visita. Pareceu que foi uma surpresa que eles quiseram dar a ele ou algo assim. Me disseram que ele estava muito deprimido por causa de uma namorada que tinha terminado com ele na época”, contou a cubana.

A partir dali, Maradona e Mavys começaram a namorar. Para América Tevê, a mulher, que hoje é empregada doméstica em Miami, conta que, aos poucos, tudo começou a piorar.

Inicialmente um cavalheiro e dando diversos presentes para a namorada, Maradona teria começado a agredir Mavys e também a iniciou no mundo das drogas.

Vício em drogas e viagem para Argentina com Maradona

Mavys relembra que quando Maradona bebia e se drogava, ficava violento. Nessas ocasiões, a ex-namorada do jogador de futebol era agredida.

“É verdade que ele me batia. Isso aconteceu várias vezes. Uma vez ele me empurrou para fora da sala de jantar, me colocou no carro e me agarrou pelo cabelo quando chegamos em casa”, contou a cubana.

A empregada doméstica acreditava que não adiantaria denunciar Maradona. Para ela, o ídolo argentino era protegido por Fidel Castro em Cuba.

Sobre a relação, principalmente os atos sexuais, Mavys afirma que tudo foi consensual – chegando a dizer que se apaixonou pelo ídolo argentino. A ex-namorada de Maradona teria começado a usar drogas por insistência do ex-jogador.

“Diego me levou às drogas quando eu tinha 16 anos. Em várias ocasiões ele tentou, ele insistiu. Foi depois de uns seis meses de namoro. Ele se sentia sozinho e provei cocaína para agradar a ele. Abandonar as drogas foi bem difícil, elas me davam muitas alucinações”, detalhou a cubana.

Ela afirma ainda que quando tentava parar, acaba tendo problemas com álcool.

Na mesma época, Diego Maradona teve que voltar para Argentina. O atleta levou a ex-namorada junto com o objetivo de pagar uma cirurgia de aumento nos seios para ela – mesmo com Mavys sendo menor de idade e os pais dela não autorizando.

A cubana aceitou e ficou três meses na Argentina, sendo que deveria passar 20 dias no país. A relação durou quatro anos, com Mavys garantindo que Maradona namorava muitas mulheres ao mesmo tempo no período.

A empregada doméstica acusa ainda o antigo empresário do ídolo argentino, Guilhermo Coppola, como responsável por encontrar as garotas para Maradona, além de organizar as festas regadas a drogas e álcool que o famoso participava.

A entrevista fez com que uma ONG na Argentina pedisse mais investigações sobre Diego Maradona. Esse fator ajudou a criar ainda mais um clima de divisão sobre a imagem do atleta no país vizinho, colocando alguns internautas contra a série do Amazon Prime Video.

ONG quer investigação e acusação contra Diego Maradona, diz TV

Fernando Miguez, presidente da ONG Fundación por la Paz y el Cambio Climático de Argentina, foi entrevistado pela TV Record. O representante da organização afirma que pediu mais investigações para justiça do país.

A ONG vê que Diego Maradona e companheiros teriam cometido crimes de tráfico de pessoas e abuso de menores, com o caso de Mavys sendo um deles.

“Nós indiciamos cinco pessoas. Não só por tráfico humano, mas também por iniciarem uma menor nas drogas. Além disso, devido à imposição de Maradona, Mavys, na Argentina, fez uma operação de seios, aumento de mamas, e eles a mantiveram em cativeiro na Argentina. Estamos falando de uma verdadeira gangue que cometeu uma série de crimes”, afirmou Miguez para reportagem da Record.

Com a situação, até Mavys contratou um advogado na Argentina. O profissional, Gastón Marano, acredita que médicos e funcionários públicos também teriam sido envolvidos nesse esquema de Maradona.

Por enquanto, não há atualizações sobre o caso. Com a denúncia de Mavys, investigações podem acontecer para confirmarem se o relato da cubana é ou não verdadeiro.

A polêmica, claro, fica de fora de Maradona: A Conquista de um Sonho (ou Maradona: Sonho Bendito). Com ela, como já mencionado, a série também vira alvo de alguns espectadores, principalmente na Argentina.

“A Conquista de um Sonho acompanha a vida controversa do lendário Diego Armando Maradona. Um garoto argentino que sonhava com a grandeza, marcou época no futebol internacional e garantiu uma posição merecida na história do esporte”, afirma a sinopse da produção.

A descrição oficial da série revela também que Conquista de um Sonho aborda os aspectos mais polêmicos da vida de Maradona, como seus relacionamentos amorosos e o vício em drogas.

“Maradona levava uma vida regada a drogas, sexo e escrutínio público. Ele jogava com suas próprias regras, independente das consequências. Confira a história do homem que tomou o mundo do futebol de assalto e conquistou o coração de milhões de torcedores”, finaliza a descrição.

Maradona: A Conquista de um Sonho (ou Maradona: Sonho Bendito) está no Amazon Prime Video.

Publicidade