O que é gênero não-binário e como Sex Education acerta na 3ª temporada

Série da Netflix é elogiada por abordar a trama de Cal com leveza e sensibilidade

Publicado em 01/10/2021 08:30
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sex Education é uma das produções mais elogiadas da Netflix, principalmente por abordar com responsabilidade e leveza temas bastante importantes. Na 3ª temporada, a série introduz o conceito do gênero não-binário, e faz um ótimo trabalho ao explicar para a audiência o que realmente significa. Essa trama é abordada por Cal, personagem de Dua Saleh, uma das novidades dos episódios do terceiro ano.

No passado, Sex Education já abordou aspectos importantes da existência queer. Na segunda temporada, por exemplo, a série falou sobre a asexualidade.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um dos aspectos mais bem sucedidos de Sex Education é o fato da série abordar as identidades de sexuais e de gênero como parte essencial da história, mas sem nunca tratá-las em “episódios especiais”. Ou seja, a discussão acontece de maneira fluida e parecida com a realidade.

O site Digital Spy revelou como Sex Education acerta na abordagem do gênero não-binário na 3ª temporada; confira abaixo.

Gênero não-binário em Sex Education 3

Embora Sex Education não esteja realmente interessada em explicar como as identidades não-binárias funcionam, faz um ótimo trabalho ao mostrar como as pessoas de gênero não-binário navegam uma sociedade marcada pelos conceitos de masculino-feminino.

“Não-binário” é um termo guarda-chuva (que engloba várias identidades diferentes dentro de si) para as identidades de gênero que não são exatamente femininas ou masculinas, ou seja, não se identificam com o binário de gênero. Pessoas não-binárias podem classificar a sua identidade de gênero de várias maneiras.

Uma das tramas mais importantes da 3ª temporada de Sex Education envolve as mudanças no Colégio Moordale, provocadas em grande parte pela chegada da nova diretora.

Entre as principais mudanças, destaca-se a exigência de uniformes para os garotos e para as garotas – o que acaba impedindo estudantes de gênero não-binário a expressar suas identidades.

Mas para Cal, usar o uniforme “errado” não é simplesmente sobre identidade, mas também sobre segurança.

O relacionamento que Cal tem com seu corpo – e a extensão de sua disposição em compartilhar sua identidade com os outros – também é abordado nos episódios da 3ª temporada.

Quando as novas regras forçam Cal a trocar de roupa no vestiário das garotas, estudantes comentam sobre seu “estranho crop top” – que na verdade é um binder.

Binders são faixas de tecido utilizadas por pessoas de gênero não-binários e homens trans para conter os seios e evitar contornos tradicionalmente femininos.

A maneira como Cal interage com os colegas também é marcada por dúvidas dos estudantes sobre a identidade não binária – algo que também acontece na vida real.

Os personagens de Sex Education, em sua maioria, têm boas intenções. No entanto, não conseguem evitar dúvidas sobre a identidade de gênero pouco conhecida. Jackson, por exemplo, mesmo iniciando um relacionamento com Cal, se esforça para não errar os pronomes ou termos de gênero.

Uma das partes mais interessantes da trama de Cal é sua recusa em explicar para Jackson o que significa ser uma pessoa de gênero não-binário.

“Existem tantas coisas que não sei sobre mim, não posso passar isso para você”, afirma Cal.

A representatividade não-binária ainda tem o longo caminho a percorrer na indústria cultural, e Sex Education representa um ótimo modelo a ser seguido por lançamentos futuros.

Sex Education está disponível na Netflix, inclusive a 3ª temporada.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio