Publicidade

Polêmica

Série da Netflix reproduz terapia sexual proibida nos Estados Unidos

Mais uma controvérsia de Gwyneth Paltrow em Sex Love & Goop

Publicado por Alexandre Guglielmelli

26/10/2021 19:00

Como era de se esperar, a série Sex Love & Goop não demorou para causar polêmica na Netflix. Produzida e apresentada por Gwyneth Paltrow, a produção documental foca em maneiras inusitadas de obtenção de prazer e terapias sexuais holísticas. O problema é que um dos “métodos” mostrados na série é proibido em quase todos os estados dos EUA – e provocou a maior controvérsia nas redes sociais.

Sex Love & Goop explora como o sexo e a intimidade ocorrem de maneiras diferentes – e mostra que o prazer é bem maior do que você pensa”, afirma a descrição oficial da série. Além de apresentar todos os episódios, Paltrow também é a produtora-executiva da série.

Gwyneth também revela que a série encontrou inspiração em suas próprias experiências, e que “é cheia de lições que eu mesma aprendi há muitos anos”.

O site Insider revelou tudo que os assinantes da Netflix precisam saber sobre a polêmica de Sex Love & Goop.

A polêmica de Sex Love & Goop na Netflix

A polêmica de Sex Love & Goop na Netflix começa com a história de Chandra e Camille. O casal apaixonado passa por problemas na cama, com Chandra sofrendo com dores durante a penetração, e Camille com dificuldade em dizer o que deseja.

Na produção de Gwyneth Paltrow, ambas passam por sessões de “sexological bodywork” (trabalho corporal sexológico, em tradução literal). Essa terapia é proibida em quase todos os estados americanos, exceto na Califórnia, onde a série é gravada.

A terapia em questão envolve o toque (com luvas) nos genitais dos clientes, feito por um profissional não-médico. Ou seja, em 49 estados americanos, a prática é englobada na área da prostituição.

Em Sex Love & Goop, a “coach de integridade erótica” Darshana Avila ajuda Chandra a descobrir por que não se sente bem durante a penetração.

“Esse tipo de dor não é necessário, já que não existe nada de errado no corpo. Normalmente, é uma resposta física a impressões psicológicas. A vergonha congela nossos corpos e trava a nossa sexualidade como uma medida protetiva”, afirma a coach.

Vale lembrar que as falas de Darshana Avila não contam com base científica. Na verdade, elas são consideradas promotoras de pseudociência e charlatanismo por muitos especialistas.

Durante a sessão, Avila coloca a mão na vulva de Chandra, mexendo em seus grandes lábios e analisando a reação da cliente.

Segundo o site Insider, a prática (que também é conhecida como educação sexual somática), pode ajudar clientes a se sentirem seguros em seus corpos e superar traumas do passado, além de explorar melhor o prazer e a sexualidade.

“Sempre achamos que o sexo é uma experiência fácil e divertida, mas muitos de nós desenvolvem problemas sexuais, e em algumas situações, simplesmente falar com um terapeuta não dá resultado”, comenta Tom Murray, um sexólogo forense que defende a prática.

Sex Love & Goop já está disponível no catálogo brasileiro da Netflix.

Publicidade