Publicidade

Contém spoilers

Mestres do Universo: Explicamos o fim da Parte 2 na Netflix

Desfecho da série apresenta novo vilão e abre caminho para a próxima temporada

Publicado por Alexandre Guglielmelli

24/11/2021 10:30

A Parte 2 de Mestres do Universo: Salvando Eternia levou os heróis e vilões da trama de He-Man para fascinantes novas direções. O desfecho da animação conta com surpresas incríveis, e tem tudo para agradar até mesmo os fãs mais exigentes. Mas o que a batalha final significa para He-Man, Teela e o resto de Eternia? O site Looper explicou tudo que você precisa saber sobre a conclusão; confira abaixo.

Quando o Esqueleto finalmente empunha a Espada do Poder, o Príncipe Adam só enxerga uma solução. O personagem grita “Pelos poderes de Grayskull”, mas sem a Espada, acaba se tornando o He-Man Selvagem, um herói com toda a força bruta do He-Man, mas sem qualquer inteligência – basicamente um Hulk loiro.

Felizmente, o herói acorda do transe primitivo ao ouvir as palavras do Rei Randor, seu pai. Esqueleto, por sua vez, transforma Evil-Lyn na nova Feiticeira – o que não agrada nem um pouco a personagem.

Mesmo oferecendo à vilã o acesso a um universo inteiro, Esqueleto desagrada Evil-lyn por usá-la como uma ferramenta, não como uma aliada. A situação fica ainda mais tensa quando o antagonista chama a personagem de “ratazana de rua”.

A batalha de Mestres do Universo

Evil-lyn seduz Esqueleto para roubar a Espada do Poder e tornar-se uma guerreira etérea e onisciente. No entanto, a personagem é forçada a ver o universo inteiro de uma só vez, e com isso, decide destruir todos os seres vivos.

Depois, em uma grande reviravolta, Esqueleto se rende às forças de Eternia e se oferece para se aliar ao Príncipe Adam e parar os planos da feiticeira.

Infelizmente, nem mesmo a união do herói e do vilão é capaz de dar fim aos planos de Lyn – que transforma todos os mortos de Subternia em seu novo exército, liderado por Scareglow.

Uma grande batalha entre o bem e o mal começa, e enquanto isso, Adam e Esqueleto tentam distrair Evil-Lyn e roubar a Espada do Poder.

Teela, por sua vez, reluta em abraçar suas próprias habilidades mágicas. A personagem supera todos os medos, e ao conversar com o fantasma da antiga Feiticeira, consegue controlar seus poderes. Para isso, ela conta com a ajuda de sua forte conexão com os amigos.

A personagem inicia uma grande batalha com Lyn, e surpreendentemente, consegue convencer a vilã a desistir de seus planos de destruição, afirmando que o universo é feito de “beleza, amor e vida”.

O final da série do He-Man na Netflix

Enquanto as duas feiticeiras conversam sobre o destino do Universo, He-Man e Esqueleto retomam a antiga rivalidade. Esqueleto afirma que seu maior desejo é “ficar preso em uma batalha eterna com o grande inimigo”, mas He-Man responde que “isso não importa”.

Ou seja, o personagem dá a entender que sua luta com Esqueleto não significa nada se comparada ao grande esquema do universo. O herói, então, arremessa o vilão em direção aos últimos limites do espaço.

Já Evil-Lyn conta com um final relativamente feliz. A personagem se coloca em exílio em um local pacífico cercado pela beleza da vida e da natureza.

Uma cena final intrigante mostra Esqueleto reencontrando seus antigos servos, que agora adoram uma inteligência artificial chamada de Placa Mãe. Essa nova entidade maligna se transforma em um robô gigante alado e coloca suas garras no vilão original, infectando-o com um vírus tecnológico.

Esqueleto não morre com a introdução do vírus, o que indica que o personagem retornará com novos poderes na próxima temporada.

Finalmente, o robô mostra o símbolo holográfico de Hordak, o antigo mentor do Esqueleto. Parece que Eternia chamou a atenção de um novo – e poderoso – inimigo.

Todas essas questões devem ser abordadas na Parte 3 de Mestres do Universo, que ainda não tem data de estreia na Netflix.

Publicidade