Publicidade

Contém spoilers

The Walking Dead enfim explica o que é a CRM e qual o plano dela

Derivado World Beyond revela detalhes cruciais sobre a misteriosa organização

Publicado por Alexandre Guglielmelli

07/11/2021 20:30

Desde a despedida de Rick Grimes em The Walking Dead, fãs mal podem esperar para descobrir as verdadeiras motivações do CRM. A história da organização é expandida no derivado World Beyond, e recentemente, um dos novos episódios da 2ª temporada revelou detalhes extremamente importantes sobre o grupo e suas ações. O site Screen Rant explicou tudo que os espectadores precisam saber sobre a misteriosa organização; veja abaixo.

Em “Quatervois”, o quinto episódio da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond, a série introduz aos fãs uma importante pista sobre o CRM – um jornal que Huck e Dennis leem na cantina da organização.

Mesmo que boa parte do conteúdo não seja legível, a manchete da primeira página exibe detalhes importantes sobre os planos de CRM – além de revelações sobre os principais vilões da franquia.

Anteriormente, The Walking Dead havia deixado a história do CRM deliberadamente vaga. Dado o grande território e avanços tecnológicos da Civic Republic, a produção deixa claro que os integrantes do grupo não são amadores.

A origem do CRM em The Walking Dead

Na principal manchete do jornal lido por Huck e Dennis se encontra o Compacto Fundador da Civic Republic, um pilar central no plano de 10 anos da organização.

Como World Beyond é ambientada mais de 10 anos após o apocalipse zumbi, tudo indica que o plano da CRM está prestes a chegar ao fim.

Ou seja, a Civic Republic foi fundada durante as primeiras temporadas da série original. Esse detalhe apoia a teoria de que a CRM é liderada por figuras do governo anterior, já que seria estranho imaginar civis tomando o controle no primeiro ano após a volta dos mortos.

O jornal também responde outra questão importante sobre a CRM: sua organização interna e liderança.

De acordo o site Screen Rant, o CRM é apenas o braço armado da Civic Republic – mas o General Beale e seus asseclas parecem fazer tudo que querem, sem qualquer supervisão ou ordens superiores.

Segundo o artigo na Civic Republic Tribune, o plano de 10 anos inclui uma “transição do governo militar para um governo civil”.

O detalhe confirma também que a república ainda está sob o controle dos militares. Um governo civil provavelmente existe, constituído de oficiais eleitos, mas Dennis deixa claro que o relacionamento dos eleitos com os militares é bastante conturbado.

Os planos da CRM

A iminente mudança de poder nos bastidores da CRM, de acordo com o Screen Rant, está intimamente relacionada ao plano da organização em destruir Omaha e o Campus Colony.

O jornal é repleto de frases como “é a hora certa” e “sob controle”, o que indica que o sentimento público da organização defende a criação de uma sociedade realmente democrática, sem o controle dos militares.

“Mas com o que aconteceu em Omaha, nós voltamos para a estaca zero”, afirma Dennis.

A preocupação do personagem pode indicar o motivo do General Beale ter ordenado a dizimação de Omaha e do Campus Colony pelas mãos do CRM.

O povo da Civic Republic já se sente seguro o suficiente para exigir uma sociedade completamente democrático. Mas se a confiança da comunidade for abalada – com a destruição de Omaha, por exemplo – o apoio público pode mudar e defender a criação de um governo militar.

Com isso, tudo indica que a intenção do Major Beale é assustar os cidadãos da comunidade e tomar todo o poder em suas próprias mãos.

No Brasil, os episódios de The Walking Dead vão ao ar pela Star+. Clique aqui para assinar a plataforma.

Publicidade