Mais do que você gosta.

Publicidade

Inusitado

Criador tira sarro de ataques contra Lucifer após grande audiência

Grupo tentou boicotar a série da Netflix antes da estreia

Publicado por Guilherme Coral

24/01/2022 11:23

Neil Gaiman, co-criador de Sandman, tirou sarro de ataques feitos contra Lucifer antes mesmo da série estrear. O seriado foi o mais visto no streaming em 2021.

Antes da estreia de Lucifer em 2015, quando a série ainda era da Fox, uma organização chamada One Million Moms (um milhão de mães) pediu que as pessoas boicotassem a série, dizendo que ela “glorificaria Satã como uma pessoa queria, que se importa com outros”.

Continua depois da publicidade

A organização chegou a alegar que o seriado “desrespeitava o cristianismo e zombava da Bíblia”. Com a notícia do sucesso do seriado em 2021, Neil Gaiman trouxe à tona esse fato.

“Gostaria de agradecer formalmente a One Million Moms por suas tentativas de banir Lucifer antes de ser lançado”, escreveu Gaiman no Twitter.

“O boicote foi o que sinalizou que Sandman é relevante enquanto quadrinho, e eu sabia que era um bom presságio para a nossa derivada na TV”.

Veja o tuite de Neil Gaiman, abaixo.

Mais sobre Lucifer

Lucifer teve uma história de produção conturbada. A série foi cancelada pela Fox e acabou sendo salva pela Netflix, após longa campanha por parte dos fãs.

A série foi baseada em quadrinhos de Neil Gaiman. No entanto, a adaptação para a tela tomou tantas liberdades criativas que Lucifer se tornou quase totalmente diferente.

“Cansado de ser o senhor do inferno, o diabo se muda para Los Angeles, onde abre um bar e conhece uma investigadora de homicídios com quem se conecta rapidamente”, diz a sinopse da série.

Lucifer, com Tom Ellis, está disponível pela Netflix.

Publicidade