Mais do que você gosta.

Publicidade

Acabou a festa?

Netflix pode tomar medida para acabar com o compartilhamento de senhas

Plataforma de streaming começou a avisar alguns assinantes sobre dividir a conta

Publicado por Guilherme Coral

26/01/2022 13:23

Dividir a conta da Netflix é algo muito comum em todo o mundo, no entanto, isso pode acabar no futuro. Ações recentes da gigante do streaming indicam que a empresa tomará providencias para impedir o compartilhamento de senhas.

Alguns usuários nos EUA já começaram a ver o aviso: “Se você não mora com o proprietário desta conta, precisa de sua própria conta para continuar assistindo”.

Continua depois da publicidade

Depois disso, em abril de 2021, Reed Hastings, CEO da Netflix, falou sobre o assunto e chegou a indicar justamente a tomada de medidas contra o compartilhamento de contas.

“Queremos garantir que as pessoas que usam uma conta Netflix, que acessam, estejam autorizadas a fazer isto” disse Hastings.

Dito isso, não foi revelada qual medida especificamente a Netflix tomará contra esse hábito dos usuários. Vale apontar que os termos de serviço da empresa deixam claro que esse hábito não é permitido.

“O serviço Netflix e todo o conteúdo visualizado através do serviço são para seu uso pessoal e não comercial e não podem ser compartilhados com indivíduos fora de sua casa. Durante sua assinatura da Netflix, concedemos a você um direito limitado, não exclusivo e não-transferível, para acessar o serviço e assistir ao conteúdo Netflix”, diz um trecho dos termos da Netflix.

Tendo em vista o preço da assinatura, simplesmente cortar essa possibilidade certamente prejudicará muita gente, podendo resultar, inclusive, na perda de assinantes.

Netflix perde R$ 274 bilhões do dia para a noite

A Netflix pode ter se tornado parte essencial da vida de milhares de pessoas, mas isso não quer dizer que ela esteja a salvo quando o assunto são metas, projeções e investimentos. A gigante do streaming não conseguiu cumprir a meta estabelecida e as ações dela caíram vertiginosamente em razão disso.

A empresa estabeleceu o objetivo de acumular 222 milhões de assinantes em 2021, mas não conseguiu alcançar esse número. Em decorrência disso, as ações dela caíram, resultando numa perda estimada de US$ 50 bilhões (aproximadamente R$ 274 bilhões).

Isso representa uma queda de 21,8% nas ações da gigante do streaming. Conforme o The Wrap, essas são as piores 24 horas da Netflix na bolsa de valores desde julho de 2012.

Vale apontar que as projeções para o primeiro trimestre de 2022 não são tão bons, apontando “apenas” 2,5 milhões de novos assinantes até agora.

No ano passado, na mesma época, a Netflix já tinha conseguido quase 4 milhões de novos assinantes.

Publicidade