Mais do que você gosta.

Publicidade

Contém spoilers

O real motivo por trás da morte do Rei Edmund em Vikings: Valhalla

Personagem de Louis Davidson encontra fim trágico na série da Netflix

Publicado por Alexandre Guglielmelli

17/03/2022 21:00

Vikings: Valhalla, o primeiro derivado de Vikings, é ambientado mais de um século depois dos eventos da série original. Por isso, muitos personagens compartilham parentescos com icônicas figuras da saga de Ragnar. Um desses personagens é o Rei Edmund – que não sobrevive à 1ª temporada. Mas afinal, qual é o verdadeiro motivo por trás da morte do monarca? Explicamos abaixo tudo que você precisa saber.

“Nesta sequência de Vikings, cem anos se passaram. Uma nova geração de heróis lendários cria seu destino e faz história”, afirma a sinopse oficial de Vikings: Valhalla na Netflix.

De acordo com o site Looper, um dos personagens mais frustrantes da série é o Rei Edmund, interpretado por Louis Davidson. Ele é o herdeiro do Rei Aethelred II, que se envolve em momentos conturbados após a morte do pai.

Ao assumir o trono, Edmund é forçado a proteger seu reino contra as forças invasoras do rei dinamarquês Canute, vivido por Bradley Freegard.

O motivo da morte do Rei Edmund em Vikings: Valhalla

Segundo o site Looper, a morte do Rei Edmund é bem mais significativa do que os fãs imaginam – e integral para o futuro de Vikings: Valhalla.

Com a invasão Viking à Inglaterra, o Rei Edmund se sente frustrado com a necessidade de governar ao lado de Canute, já que as forças nórdicas arrasam o exército do país em batalha.

Ao final da primeira temporada, Edmund fica isolado, e sente que não é nada além de um peão dos Vikings.

O personagem se volta ao leal conselheiro Godwin, que incentiva os nobres da região e declarar fidelidade ao jovem rei.

Entretanto, pouco tempo depois, Godwin mata Edmund e esconde seu crime em um suposto acidente de equitação. Ou seja: observadores externos enxergam a morte de Edmund apenas como uma trágica coincidência.

Mas por que Edmund morre tão cedo em Vikings: Valhalla? A primeira razão é histórica: o Rei Edmund da vida real morreu logo após suas tentativas de impedir as invasões nórdicas na Inglaterra.

“Embora a verdadeira causa da morte nunca tenha sido confirmada, rumores indicam que o jovem rei foi morto por motivações políticas”, comentou a historiadora Susan Abernathy, do site Medievalists.

Na lógica da série, a decisão de Godwin não apenas evita uma guerra civil entre Edmund e Canute, mas também estabelece o personagem como uma figura importante no ‘jogo dos tronos’.

“A minha intenção era confirmá-lo como um personagem maquiavélico, que vai permanecer na série por um bom tempo”, contou Jeb Stuart, o showrunner da produção, em uma entrevista ao site Games Radar.

A 1ª temporada de Vikings: Valhalla está disponível na Netflix.

Publicidade