Mais do que você gosta.

Publicidade

Som famoso da Netflix seria bem diferente – e bizarro

Publicado por Guilherme Coral

05/08/2020 11:40

O som “ta-dum” da Netflix, tocado antes da exibição de seus programas originais, se tornou uma das marcas da empresa, assim como o castelo da Disney, o leão da MGM e a lâmpada da Pixar.

Dito isso, o som quase foi bem diferente do atual e bem bizarro, conforme foi revelado no recente episódio do podcast Twenty Thousand Hertz.

Continua depois da publicidade

Em 2015, o vice-presidente de produtos da Netflix, Todd Yellin estava buscando algo que “gritasse Netflix”.

“Eu gostava do som de uma cabra. Era engraçado. Era estranho. Era nossa versão do leão da MGM”, disse Yellin no podcast.

Felizmente, a Netflix acabou escolhendo o “ta-dum”, mas foi por pouco. Yellin revelou que o processo para a escolha do som foi longo, a tal ponto que contrataram um designer de som ganhador do Oscar, Lon Bender, para criar o som.

Bender admitiu que o “ta-dum” veio do som de sua aliança sendo batida em uma escrivainha de madeira. Ele editou o som para soar como o escutamos hoje em dia.

O som, inclusive, é uma referência a House of Cards e o hábito de Frank Underwood em bater na mesa produzindo um som similar. Considerando a importância da série para a plataforma, é compreensível que a escolha tenha sido essa.

O futuro da Netflix

Com sua marca já estabelecida, a Netflix agora busca por uma franquia de filmes similar a Harry Potter ou Star Wars.

Tendo Nagenda, vice-presidente de filmes originais da Netflix, deixou bem claro que há bastante espaço para crescimento na plataforma e falou um pouco sobre o que a empresa quer quando se trata de seu catálogo de filmes.

“Estamos atrás de filmes de aventura grandes, que apelem para um grande público de jovens e adultos”, disse Nagenda ao THR. “Algo como os primeiros filmes de Star Wars, ou Harry Potter 1 e 2”.

“Muita ação para a família, fantasia, filmes de espetáculo grandes, que podem atrair bastante gente. Uma história tipo Jumanji. Essa é a próxima fronteira”, continuou o VP de filmes originais da Netflix.

Ao ser perguntado se isso colocaria a Netflix como uma maior concorrência aos estúdios tradicionais de Hollywood, Nagenda respondeu:

“Bem, olhamos para isso como coisas em que os estúdios não estão focados. Novas ideias. Queremos encorajar grandes talentos a pensarem dessa forma. George Lucas criou Star Wars – não foi baseado em um livro. Se você tem esse tipo de imaginação – como as Wachowski com Matrix – sentimos que somos o lugar para essas pessoas se arriscarem com ideias inovadoras”.

O fato de Nagenda ter citado as irmãs Wachowski é bem irônico, considerando que a Netflix cancelou uma de suas melhores, mais inovadoras e progressivas séries, Sense8, que também foi criada pelas realizadoras de Matrix.

Publicidade