Game of Thrones | Triunfo de Daenerys marca episódio cheio de reviravoltas

Publicidade

ATENÇÃO PARA SPOILERS DA SÉRIE A SEGUIR!

O episódio “Book of the Stranger” (6×04) de Game of Thrones trouxe logo no comecinho um momento que muitos fãs, especialmente os partidários da família Stark, estavam esperando ansiosamente: a reunião entre Jon Snow e Sansa Stark. O ex-comandante da Patrulha da Noite estava se preparando para sair, após entregar o comando para Edd, quando o portão do Castelo Negro se abriu para que Sansa, ao lado dos escudeiros Brienne e Podrick, entrarem.

A reunião foi afetuosa e cheia de lembranças, feliz como poucas coisas em Game of Thrones, mas também incluiu planos para o futuro. Sansa se desculpou por tratar Jon mau durante a infância dos dois, e Jon deixou claro que, onde quer que eles estejam indo a partir dali, deveriam ir juntos. A promessa ficou mais difícil de cumprir quando Sansa sugeriu que deveriam tomar Winterfell de volta dos Bolton, ao que Jon respondeu dizendo que estava ”cansado de lutar”. Sansa declarou que tomaria a missão para si se Jon não quisesse ajudá-la.

Continua depois da publicidade

Mais destinos foram definidos em Game of Thrones quando Davos conversou com Melisandre sobre o futuro da Sacerdotisa Vermelha. A moça não hesitou em dizer que seguiria Jon para onde ele fosse, pois ele era o Príncipe prometido a ela por seu deus. Logo em seguida, Davos confrontou Brienne, que confessou ter executado Stannis no campo de batalha.

Quando voltamos à Castelo Negro, no finalzinho do episódio, um mensageiro dos Bolton chega, com uma ameaça de Ramsay de atacar a fortaleza da Patrulha da Noite caso Jon não lhe devolva Sansa – a mensagem inclui o fato de que Rickon está preso em Winterfell com Ramsay. Jon parece furioso, mas Tormund o lembra que os 2.000 selvagens do exército não são páreo para os 5.000 dos Bolton. Sansa tem um plano: reunir casas leais aos Stark para atacar Winterfell junto com os selvagens.

Reunião da família Greyjoy

Theon se reencontra com a irmã Yara em Pyke, mas a sua recepção não é das mais calorosas. Yara o lembra de quando ela arriscou tudo para salvá-lo das mãos de Ramsay, e ele decidiu não ir com ela, e o acusa de estar manobrando para se tornar rei das Ilhas de Ferro. Theon clama que apenas quer ajudar Yara a vencer a “eleição” para rei que está prestes a acontecer.

Em Porto Real, vemos Margeary tendo um reencontro com o irmão Loras, que parece ter sofrido tanto quanto ela nas mãos do Alto Pardal e seus seguidores. Por falar no fanático religioso, ele conta à Margeary a história de sua conversão para a fé, uma trajetória familiar de muita riqueza e uma vida de excessos transformada em uma devoção completa aos deuses – com a interpretação de Jonathan Pryce sempre afiada, o Alto Pardal é um dos personagens mais odiáveis, e fascinantes, de Game of Thrones.

Enquanto isso, Cersei e Jamie colocam em movimento o seu plano para finalmente acabar com o reino do Alto Pardal em Porto Real – abordando o filho Tommen e tentando fazê-lo se sentir ainda mais culpado pelo que ela sofreu nos calabouços dos religosos, Cersei consegue uma informação privilegiada: o Alto Pardal planeja fazer Margeary passar pela mesma humilhação de Cersei. Levando essa informação para a Rainha dos Espinhos e para Kevan Laninster, no conselho do rei, Cersei e Jamie conseguem que os Tyrell prometam reunir um exército para derrotar os fanáticos religiosos.

Por fim, em Winterfell, vemos Osha abordando Ramsay, tentando seduzi-lo. O plano da selvagem e dominar o lorde da família Bolton e em seguida matá-lo, para depois provavelmente fugir dali com Rickon. Para o total desespero de todos os espectadores de Game of Thrones, no entanto, Ramsay sabe o que está por vir, e age mais rápido que Osha, enterrando uma faca na garganta da selvagem. R.I.P para a nossa selvagem favorita!

Enquanto isso em Essos…

Do outro lado do Mar Estreito, Tyrion começa a governar Mereen bem ao seu estilo, fazendo tratos com nobres para tentar melhorar a situação das cidades conquistadas por Daenerys. Se reunindo com mestres de escravos das outras cidades em Mereen, Tyrion oferece um prazo de sete anos para os mestres fazerem a transição da mão-de-obra escrava para a mão-de-obra paga; em troca, os mestres devem parar de financiar as atividades dos Filhos da Harpia.

Grey Worm e Missandei não ficam muito felizes com o acordo, achando que os mestres de escravos provavelmente vão passar a perna em Tyrion com um prazo tão longo (o que é bem provável no mundo traiçoeiro da política de Game of Thrones), mas o apoiam frente ao público quando um grupo de homens livres vem confrontá-lo sobre a decisão.

Enquanto isso, Daario e Jorah seguem a procura de Daenerys. Eles encontram Vaes Dothrak e decidem entrar na cidade durante a noite, desarmados. Quando estão tentando passar despercebidos, Jorah tenta posar como um mercador para uma dupla de Dothraki que os encontram, mas os selvagens não compram a história. Daario acaba matando os dois, salvando Jorah do segundo.

Na casa das Dosh Khaleen, Dany está no banheiro com uma das viúvas mais jovens quando Daario e Jorah aparecem. Dany diz que tem um plano para escapar, e a jovem viúva concorda em ajudá-los.

Em sua audiência com Khal Moro e os outros líderes dos Dothraki, Daenerys não parece amedrontada por nenhuma das ameaças do guerreiro. Ela propõe que os Dothraki sirvam em seu exército em Mereen, mas os selvagens insistem que tem poder sobre ela, e não ela sobre eles. Em resposta, Dany coloca fogo no edifício, sabendo que vai sobreviver às chamas, enquanto Jorah e Daario bloqueiam as saídas para que os mestres dos Dothraki morram no incêndio.

Milhares de Dothraki se curvam diante de sua nova rainha quando Daenerys Targaryen sai do prédio em chamas, intocada. Isso que é um final de episódio, Game of Thrones.

dany fogo game of thrones

Publicidade
© 2021 Observatório do Cinema | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade