A cantora Mariah Carey foi internada após surtar achando que Michael Jackson (1958-2009), Whitney Houston (1963-2012) e Prince (1958-2016) iriam visitá-la para um jantar.

De acordo com o The Blast, o surto ocorreu em 2016 e veio à público durante um depoimento da ex-empresária Stella Bulochnikov em tribunal.

Carey e Bulochnikov travam batalha judicial na qual a ex-funcionária diz que houve quebra de contrato quando foi demitida, em novembro de 2017 – veja mais do processo.


Bulochnikov disse que Carey estava em um “terrível estado maníaco” em 2016, após terminar seu noivado com o empresário James Packer e ir a uma festa com o seu atual namorado, Bryan Tanaka.

Mariah Carey agradece apoio dos fãs após revelar sofrer de bipolaridade

Em certa noite, a empresária teria recebido um telefonema do ex-marido de Carey, o ator e cantor Nick Cannon, preocupado após ligações da babá de seus filhos afirmando que a cantora estava usando um vestido de gala e uma tiara, organizando um jantar para o que estava chamando de sua “família real”.

A empresária disse então ter ido à casa de Carey na companhia de um psiquiatra, que recomendou a internação imediata. Incontrolável, a artista teria ficado violenta e quase conseguido pular do carro que a levou ao hospital.

A cantora foi internada no Ronald Regan UCLA Medical Center, em Los Angeles (EUA), e foi liberada após aceitar receber tratamentos. Os assessores de Carey negaram as acusações em depoimento à imprensa americana.