O The Hollywood Reporter obteve um novo documento assinado por Stan Lee, papa dos quadrinhos e criador dos personagens mais icônicos da Marvel, em que ele faz acusações contra sua filha, J.C. Lee.

Datado de 13 de fevereiro de 2018, o documento detalha o histórico de J.C., que vive da fortuna do pai “sem nunca demonstrar a intenção de trabalhar pelo dinheiro”. “Não é incomum para J.C. gastar US$ 20 ou 40.000 nos cartões de crédito do pai todos os meses”, segundo a reportagem.

O documento ainda detalha um incidente ocorrido em 10 de fevereiro, no qual J.C. e seu advogado, Kirk Schenck, chegaram sem convite à casa de Lee e “exigiram que o quadrinista passasse a propriedade da mansão para ela”. Visto que Lee já provem a filha com uma casa própria, a exigência “não era aceitável”.


Stan Lee aparece abatido e soturno em Comic-Con após problemas de saúde

No entanto, Lee está cercado de outras más influências. Keya Morgan, sua principal assistente, decide quem tem acesso ao quadrinista, e é descrita pela reportagem como “uma pessoa nada confiável”. Morgan mandou ao THR vídeos de Lee contradizendo o documento conseguido pela reportagem.

Ao final do primeiro vídeo enviado, Morgan pede para Lee falar sobre sua “degeneração ocular”, que teria causado a assinatura de um documento falso como aquele: “Ah, para o inferno com isso”, é a resposta do quadrinista.

Stan Lee tem 95 anos completados no último dia 28 de dezembro. Ele deve aparecer em uma de suas participações especiais em Vingadores: Guerra Infinita, que chega aos cinemas em 26 de abril.