A defesa de Harvey Weinstein está tentando anular o processo que a atriz Ashley Judd moveu contra o produtor de cinema. Weinstein alega que está sendo difamado e que tinha um pacto sexual com Judd.

A acusação da atriz é de que o produtor arruinou a sua carreira em Hollywood após ela ter resistido aos seus ataques sexuais. Judd garante que Weinstein chegou a convencer Peter Jackson a tirar a artista da trilogia Senhor dos Anéis.

Contra a alegação, a defesa do produtor garante que os dois tinham o pacto sexual. De acordo com as informações, um acordo foi feito na década de 90 em um quarto de hotel em Beverly Hills. Weinstein poderia manter relações com a atriz, caso o produtor conseguisse alavancar a carreira dela em Hollywood.


O documento ainda alega que o ex-parceiro de Quentin Tarantino ainda teria tentado conseguir papéis para em Gênio Indomável, para estrelar com Matt Dammon.

Harvey Weinstein confessa que chegou a oferecer trabalho para atrizes em troca de sexo

A defesa de Weinstein também afirmou que Ashley Judd admitiu ter feito o acordo. No entanto, a atriz informou que foi a única maneira que ela viu para escapar de algum ataque do produtor dentro do quarto de hotel.

Recentemente, Peter Jackson revelou que Weinstein moveu campanhas difamatórias contra muitas atrizes na década de 90. A maioria está trazendo à tona histórias similares de assédio que envolvem o produtor.

Caso seja condenado como culpado por todos processos, Weinstein pode pegar prisão perpétua. O produtor conta com seis acusações, incluindo estupros. A pena mínima estipulada para o acusado é de 10 anos.

O advogado do produtor, Benjamin Brafman, já havia adiantado que o suspeito tentará até o final manter o argumento de inocente. Brafman ainda afirmou que Weinstein alega que todos os casos foram consensuais.