Atriz de Orange Is the New Black acusa Geoffrey Rush de assédio sexual

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ator Geoffrey Rush foi novamente acusado de assédio sexual. Dessa vez, a alegação foi feita por Yael Stone, australiana que trabalha em Orange Is the New Black, da Netflix.

O caso aconteceu em 2010 e foi revelado em um programa de entrevistas da Austrália. A atriz conta que recebeu mensagens de conotação sexual e ainda percebeu que Geoffrey Rush tentava espiá-la no banho. Na época, os dois trabalhavam na peça Diary of a Madman, em Sydney.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Ele estava obviamente investindo muito naquela peça, que para todos os efeitos, era a sua peça, e eu estava lá para dar suporte. Eu era muito inexperiente, ele era uma estrela internacionalmente elogiada, ele praticamente ganhou todos os prêmios que você pode ganhar na vida. Eu estava lá apenas para servi-lo, e acho que provavelmente levei isso muito além e muito literalmente”, contou a atriz no programa.

A atriz relatou que tudo começou como uma brincadeira, mas com o tempo evoluiu. O assédio começou com mensagens na madrugada, que logo ganharam um sentido sexual.

“O pensamento de não responder a uma de suas mensagens de texto e chegar no dia seguinte sentindo que eu o havia decepcionado, o havia desapontado, não era uma opção para mim”, explicou Yael Stone.

Do celular, o caso foi para realidade. Dois momentos aconteceram após a apresentação da peça. Em um deles, Geoffrey Rush entrou nu em um camarim compartilhado e ficou de frente para a atriz.

Atriz alega que Geoffrey Rush usou emoji de conotação sexual em caso de assédio

“Eu estava sentada e ele estava de pé para que seu pênis ficasse no nível do meu rosto, provavelmente a 40-45 cm do meu rosto”, relembrou a artista.

Por fim, houve um momento em que Yael Stone percebeu que o ator estava tentando espiá-la no banho.

“Eu olhei para cima e vi um pequeno espelho sendo colocado sobre o topo do cubículo, para ser usado de uma maneira que ele pudesse olhar para o meu corpo nu”, relatou a famosa.

O ator foi contatado pelo programa 7:30 e respondeu que nunca teve a intenção de assédio. Geoffrey Rush definiu que estava “empolgado”.

“Desde o início, devo deixar claro que as alegações de comportamento inadequado feitas por Yael Stone são incorretas e, em alguns casos, foram tomadas completamente fora de contexto. No entanto, claramente Yael ficou chateada na ocasião pelo entusiasmo que eu geralmente trago para o meu trabalho. Eu sinceramente e profundamente lamento se eu lhe causei aflição”, respondeu o ator, em trecho do comunicado.

Yael Stone afirmou que nunca pensou em reclamar do artista. Para ela, alguma denúncia poderia acabar com a própria carreira.

Anteriormente, Geoffrey Rush foi acusado pela atriz Erin-Jean Norvill. A artista relatou casos de assédio sexual durante uma versão da peça Rei Lear, comandada pelo ator. O famoso, vencedor do Oscar por Shine – Brilhante, processou o jornal The Daily Telegraph por difamação após o caso ser revelado.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio