Michael Jackson era sexualmente atraído por mulheres, de acordo com seu ex-segurança, Bill Whitfield, que o defendeu das acusações de abuso infantil feitas no documentário Deixando Neverland.

Em entrevista com o podcast Hidden Truth Show (via TMZ), Whitfield garantiu que seu ex-patrão era “absolutamente heterossexual”, e eles sempre conversavam sobre mulheres juntos. O segurança trabalhou para Michael Jackson por anos até ser demitido.

Whitfield diz que Jackson contava histórias sobre as mulheres “muito atraentes” que conheceu durante sua carreira nas longas viagens de carro que compartilhavam.


O ex-segurança também contou uma história sobre uma garota de faculdade que eles conheceram na rua uma vez, acrescentando que Michael Jackson pegou seu número e teve pelo menos dois encontros com ela.

Embora não entre em detalhes, Whitfield garante que “Michael passou muito tempo com mulheres no particular” e diz ter certeza que as acusações feitas em Deixando Neverland não são verdadeiras.

Uma segunda parte da entrevista do ex-segurança de Michael Jackson será divulgada em breve, trazendo novos detalhes da vida privada do falecido astro da música.

Deixando Neverland | Diretor quer sequência com julgamento de Michael Jackson

O documentário conta a seguinte história: “No auge de seu estrelato, Michael Jackson começou relacionamentos duradouros com dois garotos de 7 e 10 anos e suas famílias. Agora com 30 anos, eles contam a história de como foram abusados ​​sexualmente por Jackson e como chegaram a um acordo para ficarem calados anos depois.”

Ações judiciais movidas por Robson e Safechuck contra Jackson foram rejeitadas por um juiz em Los Angeles em 2017.