J.K. Rowling, a autora de Harry Potter, quebrou o silêncio após fazer declarações de transfobia. Os comentários da escritora fizeram até com que atores dos filmes do bruxinho, como Daniel Radcliffe, respondessem às publicações dela.

Ao receber as acusações e ver os comentários de famosos, J.K. Rowling se defendeu dizendo que apoia as pessoas trans. Além disso, revelou que é uma sobrevivente de abuso sexual.

Porém, reafirmou os primeiros comentários que começaram toda polêmica. Em uma carta no site dela, J.K. Rowling disse que conhece pessoas trans, leu diversos livros e blogs, além de ter conversado com médicos, especialistas e psicólogos. Por isso, teria feito os comentários.


Depois, a autora de Harry Potter comentou que achou injustas as acusações contra ela. J.K. Rowling citou o fato de ter defendido Maya Forstater, uma especialista tributária demitida por causa de tuítes transfóbicos.

“Imediatamente, ativistas que se consideram bons, generosos e progressistas, invadiram meu perfil, achando que podiam politizar meu discurso, me chamar de preconceituosa, usar xingamentos misóginos, e sobre tudo, como toda mulher envolvida no debate sabe, de TERF (feminista radical trans-excludente)”, respondeu a autora.

A autora de Harry Potter, então, comentou que não ficaria intimidada ao ser chamada de TERF.

“O que vão dizer agora? Que eu tenho pulga? Falando como uma mulher biológica, muitas pessoas com poder precisam crescer (o que é sem dúvida possível, uma vez que usam o peixe-palhaço para dizer que os humanos são dimórficos)”, completou a autora.

J.K. Rowling, então, garantiu que quer defender a liberdade de expressão. A autora de Harry Potter mudou o tema da carta para misoginia e comentou sobre o caso particular dela.

Autora de Harry Potter revela abuso

A escritora opina na carta que esse “é o período mais misógino que estou vivendo”. Para J.K. Rowling, as mulheres nunca foram tão “denegridas e desumanizadas” como estão sendo agora.

Nesse momento, a criadora de Harry Potter revelou que foi vítima de violência doméstica e abuso sexual. Porém, nunca teve a intenção de comentar sobre os casos.

“Estou nos olhos do público há 20 anos e nunca falei publicamente sobre como sou uma sobrevivente de violência doméstica e abuso sexual. Não é porque tenho vergonha, mas porque é traumatizante recordar. Eu também protejo a minha filha do primeiro casamento. Eu não queria pegar para mim uma história que é dela, também. No entanto, há um tempo, pedi como ela se sentiria se eu contasse sobre essa parte da minha vida e ela me encorajou a fazer”, revelou a escritora.

Depois, J.K. Rowling concluiu sobre o assunto afirmando que quer a segurança de todas as mulheres.

“Então, eu quero que as mulheres trans fiquem seguras. Ao mesmo tempo, não quero fazer garotas e mulheres menos seguras. Quando você abre as portas para um homem que acredita ser ou se sente como mulher – e eu tenho dito, certificados de confirmação de gênero podem ser concedidos sem cirurgia ou hormônios – você está abrindo a porta para qualquer homem. Esta é a simples verdade”, finalizou a autora.

No momento, a franquia de Harry Potter continua com Animais Fantásticos 3, com previsão para novembro de 2021. Não há informações se a polêmica com a escritora afetará novas produções da saga.