Alvo de várias denúncias do movimento #MeToo, o produtor Harvey Weinstein pode estar envolvido em outro escândalo. Desta vez, porém, o caso não envolve abuso sexual, mas cenas de nudez do filme Carol (2016) que podem ter ficado com ele para guardar em seu arquivo pessoal.

De acordo com o The Hollywood Reporter, pessoas envolvidas na produção do longa-metragem suspeitam que Weinstein esteja em posse de cenas de nudez não usadas no corte final das atrizes Cate Blanchett e Rooney Mara. “Eu não acredito que é possível destruir qualquer coisa na era digital”, disse uma informante. “A ideia de qualquer coisa ser apagada da existência é ingênua”, completou.

Harvey Weinstein é acusado de ter cometido estupro em Cannes


Ainda que tudo esteja no campo especulativo, o site conversou com um advogado que já cuidou de casos semelhantes ao que pode acontecer com as atrizes de Carol e explicou o procedimento que recomenda aos seus clientes.

“Nós costumamos dizer, ‘Você precisa destruir isso’, mas eles falam que manterão em um lugar seguro. Mas coisas são hackeadas, roubadas, então nós aconselhamos a destruir e confirmar a destruição por escrito. Então nós temos provas – caso, apesar de seus esforços, seja vazado. Alguém interno divulgou. Isso fica na internet para sempre. Então nós precisamos forçar o estúdio a apagar e até ameaçar medidas cautelares ou indenizações”, explicou Jamie Feldman.