Leaving Neverland, documentário que reúne casos de pedofilia que Michael Jackson supostamente teria cometido, fez com que uma pessoa misteriosa da vida do cantor se pronunciasse para defender o astro. Trata-se de Shana Mangatal, conhecida como a “namorada secreta” do Rei do Pop.

A escritora e empresária concedeu entrevista ao The Sun, revelando detalhes íntimos da relação dos dois. Shana garante que Michael Jackson “nunca teve interesse em crianças”, como os acusadores James Safechuck e Wade Robson insistem em afirmar. Além disso, conta que a relação do astro com crianças “vinha de um lugar inocente”.

Entre os elogios da escritora estão de que o cantor era um parceiro “experiente” e “maravilhoso”.


“Ele definitivamente tinha experiência e é possível dizer que ele amava mulheres. Ele era muito amável e passional”, declarou Shana.

Leaving Neverland | Irmão mais velho defende Michael Jackson: “Deixem ele descansar”

A namorada secreta, autora do livro Michael & Me, também relatou que o cantor gostava de criar músicas de teor sexual durante telefonemas entre os dois. Apesar da defesa, Shana não declarou o que sabe sobre James Safechuck ou Wade Robson, principais fontes de Leaving Neverland.

A sinopse do documentário diz: “No auge de seu estrelato, Michael Jackson começou relacionamentos duradouros com dois garotos de 7 e 10 anos e suas famílias. Agora com 30 anos, eles contam a história de como foram abusados ​​sexualmente por Jackson e como chegaram a um acordo para ficarem calados anos depois.”

O documentário traz entrevistas com James Safechuck e Wade Robson, que alegam ter sido molestados por Michael Jackson quando ainda eram crianças.

Ações judiciais movidas por Robson e Safechuck contra Jackson foram rejeitadas por um juiz em Los Angeles em 2017.