Publicidade

História esquecida

Titanic deixa de fora fato trágico sobre sobreviventes

Documentário mostra o que aconteceu com os sobreviventes chineses do navio, desconhecidos para a maioria das pessoas

Publicado por Victor Carvalho

23/04/2021 06:00

Um novo documentário revelou a história “completamente desconhecida” de seis homens chineses que sobreviveram ao naufrágio do Titanic e adiciona um novo capítulo à história do navio mais famoso do mundo.

Com o diretor vencedor do Oscar James Cameron (que comandou o famoso filme de Titanic) como produtor executivo, The Six recebeu críticas elogiosas na China e, em um ponto, foi destaque no Weibo do país, uma rede social como o Twitter, após seu recente lançamento.

O diretor Arthur Jones espera que tenha o mesmo impacto quando for exibido no exterior e, finalmente, desfaça os mitos que perduram por mais de um século.

Para o britânico e pesquisador principal Steven Schwankert, The Six dá voz, vida e rostos a um pequeno grupo de chineses que estavam entre cerca de 700 pessoas que sobreviveram ao naufrágio do Titanic em 1912.

Jones disse que um projeto meticuloso que se estendeu por vários países e anos começou como pouco mais do que uma piada entre amigos de longa data, ambos residentes na China.

“Steven veio até mim e disse que deveríamos fazer a história do Titanic chinês com os caras chineses que estavam no Titanic”, disse Jones, de 47 anos, à AFP em seu estúdio em Xangai.

“Achei que ele estava brincando, porque achei que era apenas uma daquelas coisas de que riríamos.”

“Eu pesquisei e era verdade. Mas, inicialmente, meu pensamento foi: não sei se o mundo precisa de outro filme do Titanic ou de outro documentário do Titanic.”

Jones disse que eles sabiam que tinham que fazer o documentário quando o mencionaram para amigos chineses.

“Eles ficaram surpresos ao ver essa história completamente desconhecida do Titanic, parecia algo extraordinário”, disse ele.

The Six mostra Schwankert e seus colegas pesquisadores estudarem arquivos e encontrarem descendentes em continentes enquanto tentam juntar as peças do que aconteceu aos homens depois de sobreviver ao mais famoso naufrágio de todos os tempos.

“Tornou-se bastante épico em termos de pesquisa”, disse Jones.

Oito chineses estavam a bordo da fatídica embarcação, na terceira classe, quando afundou após bater em um iceberg. Seis, a maioria deles marinheiros, mas não trabalhando no Titanic, conseguiram sair vivos em botes salva-vidas.

Cameron, que ganhou o prêmio de Melhor Diretor e Melhor Filme no Oscar por seu grande sucesso de 1997, Titanic, apoiou totalmente o documentário e permitiu que Jones mostrasse uma cena que não estava incluída na versão cinematográfica do blockbuster.

Na cena cortada, um homem de aparência asiática lutando pela vida em um pedaço de madeira é arrancado da água gelada, talvez se tornando a última pessoa a ser salva.

Quando Schwankert e sua equipe rastrearam o filho do homem na vida real, descobriu-se que ele não sabia quase nada do que seu falecido pai havia suportado, porque ele nunca realmente falou sobre isso.

À medida que investigavam o que havia acontecido com os seis homens, a notícia de seu projeto se espalhou, atraindo mais pessoas para apresentar informações. Mesmo agora, novos detalhes estão vindo à tona.

Um elemento forte do filme é o preconceito que os trabalhadores imigrantes chineses, como os marinheiros, enfrentaram ao buscar uma nova vida no Ocidente.

O Ato de Exclusão Chinês de 1882 proibiu os trabalhadores chineses dos Estados Unidos, fechando a porta para seu “Sonho Americano”. Os homens chegaram a Nova York com os outros sobreviventes, mas foram despachados do país menos de 24 horas depois.

Os paralelos entre o sentimento anti-asiático de então e agora, em particular nos Estados Unidos, não são perdidos por Jones e Schwankert.

“As pessoas nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido ou em qualquer outro lugar não desenvolveram repentinamente esses sentimentos negativos nos últimos dois ou três meses”, disse Schwankert, de 50 anos, por chamada de vídeo de Luoyang, na província central de Honã.

“Esses são problemas profundos.”

O filme também desmascara as afirmações de que os homens chineses entraram sorrateiramente no bote salva-vidas que os salvou, disfarçando-se de mulheres ou se escondendo na jangada.

Os telespectadores chineses estão felizes porque a verdadeira história de sobrevivência de seus compatriotas agora foi contada.

“Acima de tudo, o público aqui está agradecendo por preencher esse pouco de história não escrita, ou talvez uma história mal escrita”, disse Jones.

No Brasil, o documentário The Six ainda não teve estreia confirmada. Portanto, não se sabe quando poderia ser lançado.

Filha de estrela de Titanic se tornou atriz

Você sabia que a filha de Kate Winslet, estrela de Titanic, também é atriz?

Pois é, a maioria dos fãs não está ciente disso. A filha da atriz, Mia Threapleton, está com 20 anos de idade, e resolveu adotar o sobrenome do pai, o diretor Jim Threapleton, em sua carreira.

Em uma nova entrevista no programa da apresentadora britânica Lorraine Kelly, a estrela de Titanic revelou que a filha está em ascensão na carreira, embora não tenha aparecido em nenhuma produção de destaque até agora.

“Mia tem 20 anos e está atuando. Ela está agora na República Tcheca, prestes a começar uma série de TV lá.”

“Acho que sabia que isso ia acontecer, sempre suspeitei.”

A atriz de Titanic acrescentou: “Há alguns anos, ela me disse mesmo que gostaria de dar uma chance à carreira de atriz. O que é ótimo é que ela usa um sobrenome diferente, então escapou do radar.”

“As pessoas que a escalaram não sabiam que ela era minha filha, o que claramente foi importante para sua autoestima.”

O filme de Titanic está disponível em streaming agora no Telecine Play.

Publicidade