Mais do que você gosta.

Publicidade

Sem spoilers

Macabra história real que inspira Pânico deixa qualquer um arrepiado

Em cartaz nos cinemas, Pânico 5 traz o retorno de Sidney Prescott, Gale Weathers e Ghostface

Publicado por Alexandre Guglielmelli

16/01/2022 19:00

Já em cartaz nos cinemas brasileiros, Pânico 5 está fazendo muito sucesso com a audiência nacional. O longa faz um ótimo trabalho ao traçar paralelos entre a trama atual e a história do primeiro Pânico, lançado em 1996. O que muitos fãs não sabem é que a franquia é inspirada por uma macabra história real, com o potencial para deixar qualquer um arrepiado.

Pânico 5 traz de volta alguns dos personagens mais queridos da franquia – como Sidney Prescott e Gale Weathers – e introduz novas figuras no elenco, como Melissa Barrera, Jenny Ortega e Dylan Minnette.

Continua depois da publicidade

Como de costume, todos os personagens tentam escapar da fúria assassina de Ghostface, um dos serial killers mais famosos da história do cinema.

O site Metro revelou tudo que os fãs de Pânico precisam saber sobre os crimes reais que inspiraram a franquia; veja.

Pânico é inspirado em história real?

De acordo com Kevin Williamson, o criador da franquia, Pânico é levemente inspirado na história dos Assassinados de Gainesville, que aconteceram na Flórida no início dos anos 90.

Em agosto de 1990, a pacata cidade de Gainesville foi aterrorizada por uma série de assassinatos.

Sonja Larson, Christine Powell, Christa Hoyt, Tracey Paules e Manny Taboada foram brutalmente assassinadas em seus apartamentos – tudo em um período de menos de uma semana.

Todas as vítimas foram esfaqueadas até a morte. Em um caso de extrema selvageria, uma das vítimas também teve os mamilos cortados e a cabeça decepada.

Os assassinatos pararam subitamente após Paules e Taboada. Dias depois, a polícia anunciou a prisão de Edward Lee Humphrey, um suspeito de 18 anos, que vivia no mesmo complexo de apartamentos das duas últimas vítimas.

Um vizinho contou à polícia que Humphrey tinha uma crush em Paules, e costumava vigiar a rotina da jovem.

No entanto, Humphrey não foi preso pelos assassinatos, mas sim por supostamente agredir a própria avó. O jovem acabou internado em um hospital psiquiátrico, evitando o julgamento por alegação de problemas mentais.

O verdadeiro assassino de Pânico

Posteriormente, a polícia indiciou Danny Rolling, de 36 anos, pelos crimes. Ele já era suspeito da morte de Julie Grisson, uma mulher esfaqueada até a morte junto com o pai e o filho, de maneira semelhante aos Assassinatos de Gainesville.

Após um longo processo judicial, Rolling confessou ter estuprado várias vítimas, cometido três assassinatos e tentado matar o próprio pai. No total, o suspeito admitiu responsabilidade sobre a morte de 8 pessoas, e foi condenado à pena capital pelos assassinatos de Gainesville.

O assassino foi executado em 2006. Em uma entrevista recente, Kevin Williamson falou sobre o momento que o inspirou a escrever a cena de abertura do primeiro Pânico, que traz Drew Barrymore como Casey Becker.

“Eu lembro de passar uns dias na casa de um amigo enquanto ele estava viajando, entrar na sala de estar e perceber que a janela estava aberta. Fiquei muito assustado! Aí, fui até a cozinha, peguei uma faca de açougueiro e comecei a andar pelos cômodos, ligando para meu amigo e dizendo que havia alguém na casa”, explicou o roteirista.

Felizmente, não havia ninguém na casa, e Williamson conseguiu escapar ileso do grande susto.

Pânico 5 está em cartaz nos cinemas brasileiros.

Publicidade