Mais do que você gosta.

Publicidade

Muitas questões

Explicamos o final de Doutor Estranho 2

Filme da Marvel pode deixar os fãs com dúvidas

Publicado por Guilherme Coral

07/05/2022 19:15

Alerta de spoilers

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (Doutor Estranho 2), como todos os outros filmes do estúdio, traz conexões com obras passadas e futuras do Universo Cinematográfico Marvel (MCU).

O final dessa segunda aventura solo de Stephen Strange traz exatamente isso, mas pode ter deixado alguns fãs confusos.

Dito isso, vamos mergulhar na história do filme e nas possíveis interpretações da cena final do longa-metragem.

Doutor Estranho 2 gira em torno da tentativa de Stephen Strange de proteger America Chavez, uma jovem de outro universo capaz de abrir portais pelo multiverso. Com isso, ela consegue acessar livremente universos paralelos.

Wanda Maximoff, a Feiticeira Escarlate, está atrás dela para conseguir ir para uma realidade na qual os filhos dela (apresentados em WandaVision) existem. O filme mostra, com bastante violência inclusive, que ela vai parar por nada até alcançar seu objetivo.

Elizabeth Olsen em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura

Incursões

Com isso, Strange e Chavez viajam por diferentes universos a fim de escapar da vilã e descobrir uma maneira de pará-la. Eles vão parar no Universo 838 (o padrão do MCU é o 616).

Lá eles se deparam, e são presos, pelos Illuminati, um grupo formado para proteger esse universo, especialmente caso outro Doutor Estranho apareça.

Isso porque o Strange 838 quase causou um evento chamado de Incursão, quando dois universos paralelos colidem, ou um deles é invadido por outro, resultando na destruição de um, ou ambos os universos.

A Incursão é gerada pelo uso do Strange 838 do Darkhold, livro de magia do caos apresentado originalmente em WandaVision, que a Feiticeira Escarlate também usa em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura.

Doutor Estranho corrompido

Eventualmente, em outro universo, Strange conhece outro Doutor Estranho que causou uma incursão, destruindo o próprio Universo, onde, aparentemente, ele é o único sobrevivente. Esse Mago Supremo foi corrompido pelo Darkhold e, por meio do livro, invade outras realidades, matando suas variantes multiversais.

O traço mais notável dessa variante é o terceiro olho dele, que aparece na testa, algo que chegou a ser mostrado nos trailers do filme da Marvel.

Strange 616 e essa versão maligna batalham e, no fim, o herói sai vitorioso. A versão malvada cai pela janela do Sanctum Sanctorum e é empalado pelas grades do local. Ele aparentemente morre.

No entanto, Christine Palmer, que estava do lado de fora da mansão, aproxima-se do corpo dele e, repentinamente, o terceiro olho abre. A cena corta e não vemos mais desse Stephen Strange.

Benedict Cumberbatch vive o Mago Supremo da Marvel no MCU

Feitiço arriscado

No fim do filme, para vencer Wanda Maximoff, o Doutor Estranho é forçado a usar o Darkhold para possuir o corpo de sua variante morta. Ele essencialmente vira um zumbi e batalha contra a Feiticeira Escarlate, apesar dos riscos apresentados pelo livro, que corrompeu sua variante.

Notavelmente, Strange diz que o feitiço que ele vai realizar é muito pior que o usado por Wanda. Ela possui a variante viva dela, enquanto Strange ocupa o corpo de uma pessoa morta. Por isso, ele é atacado por espíritos do além, que dizem que ele não pertence a aquele lugar – o reino dos mortos.

No fim, eles conseguem convencer Wanda a desistir de seus planos e (quase) tudo parece ficar bem. America Chavez foi salva, Kamar-Taj é reconstruída, Stephen consegue superar seu amor por Christine e conserta o relógio quebrado dele.

Doutor Estranho 2 terá grandes participações

O final explicado

Na cena final, vemos o protagonista, satisfeito consigo mesmo, andando pelas ruas de Nova York. De repente, ele começa a gritar, o terceiro olho aparece na testa dele e o filme acaba.

Na cena do meio dos créditos vemos algo parecido, Stephen anda feliz pelas ruas, como se nada tivesse acontecido no fim do filme, Clea (Charlize Theron) aparece e diz para ele que precisa da ajuda dele. O terceiro olho de Strange abre e os dois entram em um portal.

A interpretação mais direta disso é que o terceiro olho é um efeito colateral de usar o Darkhold. O problema é que Strange usou o livro uma única vez. Sim, era um feitiço arriscado, mas a contraparte dele basicamente destruiu o Universo dele, justificando o terceiro olho.

Mas há mais duas possibilidades. Ambas giram em torno de Strange ter sido possuído no fim do filme.

A primeira é que o Doutor Estranho maligno pode ter sobrevivido, afinal, vimos o terceiro olho dele abrindo na cena com Christine Palmer, que não foi abordada depois disso (eles tinham outras coisas com as quais se preocupar, afinal).

É possível que esse Stephen, depois que Christine e o Doutor Estranho 616 foram embora, tenha usado um feitiço para entrar no corpo da variante dele, a que acompanhamos no MCU desde o primeiro filme do personagem.

Isso explicaria por que a cena do meio dos créditos mostra um Doutor Estranho despreocupado com o fato dele ter um outro globo ocular. O verdadeiro Strange pode estar enterrado na própria mente, como foi o caso da Wanda 838 quando a Feiticeira Escarlate tomou conta do corpo dela.

Outra possibilidade é que o olho seja de Chthon, o primeiro demônio, que é mencionado no filme, como sendo o criador dos feitiços que foram transcritos para o Darkhold. É possível que o Doutor Estranho maligno, ao usar extensivamente o livro, tenha sido dominado pelo demônio.

Quando o Strange malvado morreu, o demônio teria sobrevivido, explicando o terceiro olho abrindo na cena com Christine. Depois disso, ele teria passado a dominar o Doutor Estranho 616, resultando na cena final do filme.

Dito isso, são apenas possíveis interpretações e teorias. Cabe aguardar para saber qual está correta.

Publicidade