Artista do Desastre | 10 curiosidades sobre The Room, o pior filme de todos os tempos

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Artista do Desastre, filme dirigido e estrelado por James Franco, faz crônica da produção de The Room (2003), filme que virou objeto de culto como “o pior de todos os tempos”, o “Cidadão Kane dos filmes ruins”.

Crítica | O Artista do Desastre

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com seus diálogos bizarros, problemas técnicos, frases repetidas e cenas de sexo constrangedoras, The Room atraiu um grande séquito de apaixonados, que agora podem ver seus bastidores no filme, que estreia nessa quinta (25) no Brasil.

Antes, confira 10 curiosidades sobre The Room:

REJEITADO PELA PARAMOUNT | O diretor, roteirista, produtor e astro Tommy Wiseau levou a versão finalizada de The Room para um dos maiores estúdios de Hollywood, a Paramount, buscando distribuição. O estúdio rejeitou o filme em menos de 24 horas, algo muito raro: profissionais da indústria informam que uma resposta como essa normalmente demora semanas.

32 TAKES | Uma das cenas favoritas dos fãs de The Room é quando Johnny, personagem de Wiseau, chega no telhado reclamando dos rumores que teria agredido a noiva (“I did not! Oh hai, Mark”). Aparentemente, essa foi a primeira cena que Wiseau filmou no longa, e logo seus problemas para decorar falas ficaram claros – ele precisou de 32 takes para acertar!

SEXO VENDE | As longas e constrangedoras cenas de sexo de The Room são um dos motivos pelos quais os fãs aclamam o filme como “o pior de todos os tempos”. O editor do filme, Eric Chase, tentou convencer Wiseau a retirar vários takes da primeira cena, de mais de 3 minutos, incluindo os que mostravam seu bumbum nu. “Eu tenho que mostrar meu traseiro, ou esse filme não vende!”, teria respondido o diretor.

DINHEIRO MISTERIOSO | Ninguém sabe exatamente de onde Wiseau tirou o dinheiro para produzir The Room, que ele bancou (em mais de US$ 6 milhões) de seu próprio bolso – Greg Sestero, amigo de Wiseau e o Mark do filme, disse que o misterioso diretor conseguiu sua grana investindo no mercado imobiliário, enquanto o próprio Wiseau o contradisse uma vez, contando que importava jaquetas de couro da Coréia do Sul e as revendia por preço maior.

FERIMENTO NO SET | O ator Kyle Vogt, que interpretou o psiquiatra Peter em The Room, sofreu uma concussão no meio das filmagens. No entanto, clamando que não poderia perder tempo e estender mais ainda a produção, Wiseau se recusou a deixar o ator ir ao hospital sem filmar sua última cena. Resultado? Peter parece confuso, anda pelo set e fica tocando em partes do cenário durante um diálogo.

JOHNNY VAMPIRO | Ainda segundo Sestero, o roteiro original de The Room tinha uma subtrama em que o protagonista Johnny era revelado como um vampiro! Wiseau sempre teve fascínio pelas criaturas, e só abandonou a ideia quando a equipe do filme lhe contou que seria impossível filmar a cena que ele queria, na qual Johnny saía de casa com um carro voador, a fim de revelar sua natureza vampírica.

EQUIPE FANTASMA | Drew Caffrey é creditado no filme como responsável pela escalação de figurantes e produtor executivo. O problema? Drew Caffrey, um conhecido de Wiseau de San Francisco (EUA), morreu em 1999 – e The Room não começou a ser filmado até 2002. A não ser, é claro, que ele também seja um vampiro…

FILMAGENS LONGAS | The Room demorou nada menos que seis meses para ser filmado – um período de produção muito, muito maior do que até a maioria dos grandes e complicados blockbusters americanos. Nesse espaço de tempo, dois diretores de fotografia e três atores se demitiram, sendo por vezes reescalados ou substituídos por personagens diferentes que ficaram com suas falas.

PODIA SER PIOR! | Segundo o elenco do filme, o roteiro original era significativamente maior do que o que foi usado no fim das contas para a filmagem. Tanto atores quanto “supervisores de script” editaram o roteiro no set – um membro do elenco disse à EW: “Havia longos monólogos que não faziam sentido nenhum. Coisas impossíveis de falar. Eu sei que é difícil acreditar, mas havia coisa muito pior ali”.

MATT DAMON? | O personagem Mark, interpretado por Greg Sestero, é inspirado no ator Matt Damon. Wiseau reportadamente é obcecado por Damon e sua história de sucesso em Hollywood, mas sempre achou que seu nome era Mark, e não Matt.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio