Halloween | Ranqueamos todos os filmes da saga de pior a melhor

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com a estreia do novo Halloween nesta quinta-feira (25), hora de relembrar como todos os filmes da franquia iniciada por John Carpenter em 1978 resistem ao teste do tempo, e definir o melhor de todos.

Aqui, fazemos um ranking de pior a melhor de todos os filmes protagonizados pelo assassino Michael Myers.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Confira:

11. HALLOWEEN 6 – A ÚLTIMA VINGANÇA

O fundo do poço da franquia.Tentando desesperadamente amarrar os eventos de todos os filmes envolvendo Michael Myers, A Última Vingança descamba para o ridículo ao apostar em cultos e maldições que justifiquem os “poderes” de Michael, no arco da Trilogia Thorn. Pior ainda é ver Paul Rudd completamente ridículo em seu papel de estreia nos cinemas.

10. HALLOWEEN 5 – A VINGANÇA DE MICHAEL MYERS

Com Michael Myers fazendo sucesso em seu retorno no filme anterior, os produtores jogam no seguro e entregam um dos filmes mais sem graça e descartáveis da franquia, sendo uma repetição entediante do anterior. A Vingança de Michael Myers carece de uma boa direção, de personagens cativantes e ainda oferece a péssima ideia de criar uma conexão neural entre Jamie e o assassino. Acho que essa ideia já diz tudo. Paramos por aqui.

9. HALLOWEEN – O INÍCIO

Rob Zombie leva Myers para a era dos remakes! Há elementos interessantes e aqui e ali, com destaque para o bom retrato de Malcolm McDowell como Samuel Loomis, mas no mais, é apenas um exploitation de mal gosto, onde Zombie revela-se um diretor tão ruim quanto roteirista. Sanguinário, mas forçado.

8. HALLOWEEN 2 (2009)

Se no filme anterior de Zombie o diretor “acertava” pelo setor original do filme e pecava fortemente em sua tentativa de recriar o filme de Carpenter, aqui é o efeito contrário. A primeira metade que traz uma recriação de Halloween II, com Michael Myers perseguindo Laurie em um hospital, é assustadora e urgente, mostrando boa noção de atmosfera do diretor. Todo o resto, que envolve uma Laurie Strode rebelde um Michael que vaga seguindo o espírito de sua mãe, é completamente deplorável.

7. HALLOWEEN III: A NOITE DAS BRUXAS

O famoso filme sem Michael Myers, aqui a franquia tentou se reinventar como uma antologia, onde a cada ano teríamos uma nova história de terror ambientada no Dia das Bruxas – no melhor estilo Além da Imaginação, Black Mirror ou até mesmo Cloverfield. Por mais que seja uma premissa deliciosa, e à frente de seu tempo, A Noite das Bruxas acaba sofrendo com um péssimo roteiro e uma trama B muito forçada, com nítida influência do cinema de ficção científica B dos anos 50.

6. HALLOWEEN: RESSURREIÇÃO

De maneira alguma Ressurreição pode se classificar como um filme acima da média, mas é inquestionável que oferece um sopro de ar fresco. Após anos seguindo a mesma estrutura do slasher reciclada do primeiro, a continuação de H20 traz de volta Laurie Strode para mais uma confronto, e ainda coloca Michael Myers dentro de um reality show. Cheio de momentos embaraçosos, mas é inegável que o filme seja divertido, e a direção de Rick Rosenthal tem seus momentos.

5. HALLOWEEN H20 – VINTE ANOS DEPOIS

Se o novo Halloween existe, é por consequência da proposta de H20, que ignorou as continuações anteriores para trazer a Laurie Strode Jamie Lee Curtis de volta para o aniversário de 20 anos da franquia. Embalado pelo sucesso da franquia Pânico, H20 é mais auto consciente e bem humorado do que os anteriores, mas só vale mesmo para ver Curtis de volta ao papel, já que o restante do filme é mais tradicional.

4. HALLOWEEN II – O PESADELO CONTINUA!

Arriscando-se a continuar uma trama perfeitamente fechada e atmosférica, Rick Rosenthal e a Universal apostam em uma continuação direta para os assassinatos de Haddonfield. É uma boa proposta, mas que acaba ganhando força apenas na metade final, quando temos um instingante jogo de gato e rato dentro de um hospital, contando com uma performance verdadeiramente excepcional de Jamie Lee Curtis. Uma das melhores sequências, sem dúvida.

3. HALLOWEEN 4 – O RETORNO DE MICHAEL MYERS

Com o fracasso de A Noite das Bruxas, só havia uma forma de salvar Halloween: trazer Michael Myers de volta, e o quarto filme da saga faz um bom trabalho nessa proposta. Com Laurie Strode fora, a franquia vira os olhos para sua filha, vivida por Danielle Harris, e temos uma boa história sobre o mal perseguindo diferentes gerações de uma vítima. Nada brilhante ou próximo do original, mas é continuação eficiente e subestimada, que merece ser redescoberta.

2. HALLOWEEN (2018)

40 anos depois, finalmente Michael Myers ganhou algo à sua altura. Não só ele, mas também a Laurie Strode de Jamie Lee Curtis, que assume o protagonismo em um filme imperfeito, mas que lida bem com a relação antagônica entre os dois personagens, além da direção de David Gordon Green apresentar momentos que deixariam Carpenter orgulhoso. O início de uma nova fase?

1. HALLOWEEN – A NOITE DO TERROR

Não tem pra ninguém. Mesmo depois de 40 anos, Halloween: A Noite do Terror permanece como um dos clássicos definitivos para o gênero do terror, permanecendo atual e chocante.. Um clássico absoluto do terror americano, e que para sempre será uma referência a jovens cineastas, com John Carpenter abrindo portas que permanecerão assim para sempre.

Crítica | Halloween

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio