Angelina Jolie é criticada por processo cruel usado para escalar criança africana em seu novo filme

Publicidade

A nova entrevista de Angelina Jolie para a Vanity Fair causou polêmica – e não foi pelas francas discussões sobre o divórcio com Brad Pitt.

Ao invés disso, a parte que causou controvérsia no Twitter foi sobre o vindouro filme de Jolie na direção, intitulado First They Killed My Father, um drama sobre os genocídios históricos do Camboja.

A atriz conta, na entrevista, que usou um processo um tanto cruel para achar sua protagonista mirim nos orfanatos e favelas do país africano.

Continua depois da publicidade

“Os diretores de elenco colocavam dinheiro na mesa na frente das meninas, e diziam para elas: ‘Pensem em um motivo pelo qual vocês precisam desse dinheiro, e peguem’. Depois, pediam para elas devolverem”, descreveu a atriz.

“Sareum [Srey Moch, a garota escolhida] foi dominada pela emoção quando teve que devolver o dinheiro, e nós vimos que ela era a escolha certa. Quando perguntamos qual foi o motivo que ela pensou, ela disse que sua família não tinha dinheiro para fazer um funeral apropriado para seu avô”, disse ainda.

No Twitter, Jolie foi criticada pelo apresentador britânico Piers Morgan, que escreveu: “O quê? Isso é chocante”.

“Por que diabos Angelina Jolie e companhia estavam traumatizando crianças cambodianas para escalar um filme? Isso não é digno de aplaudo”, se indignou outra usuária.

O filme ainda não tem data de lançamento marcada.

Publicidade
© 2021 Observatório do Cinema | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade