Desventuras em Série | Diretor da série critica filme de 2004 por focar apenas em Jim Carrey

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A versão da Netflix para Desventuras em Série está próxima de estrear e muitos fãs já estão curiosos para ver o resultado da adaptação, que em 2004 teve um filme estrelado por Jim Carrey, como o Conde Olaf.

E, em conversa com a Digital Spy sobre o longa, Barry Sonnenfeld, diretor da nova série, explicou por que o filme não funcionou tão bem como deveria.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Sempre senti que um dos erros da versão cinematográfica foi que era muito grande e também muito centrado no Jim Carrey. Senti o filme deixa as crianças de lado o tempo todo e Carrey é o foco de tudo”, disse.

“Jim é um grande ator, mas eu senti que o livro dá espaço para todos se destacarem. E por mais que Neil seja brilhante, ele é um dos muitos atores brilhantes na série, e a razão pelo qual ela funciona é que todo mundo é bom”, afirmou Barry. “Queria que nossa série de televisão se sentisse mais como um dos livro das histórias.”

Desventuras em Série é “chocantemente sombria”, segundo Neil Patrick Harris

Os oito episódios iniciais de Desventuras em Série chegam à Netflix no dia 13 de janeiro.

Baseada na série de livros que virou fenômeno de vendas, Desventuras em Série acompanha três irmãos órfãos que vão morar na casa de um parente distante, o Conde Olaf (vivido por Neil Patrick Harris). O real plano do Conde não é cuidar das crianças, mas sim matá-las, para ficar com a herança que seus pais, mortos em um incêndio, deixaram.

Barry Sonnenfeld (franquia Homens de Preto) dirigiu os episódios e também serve como produtor executivo do seriado, adaptado da saga literária de Daniel Handler (sob o pseudônimo de Lemony Snicket). Os 13 volumes da saga literária venderam 65 milhões de cópias pelo mundo.

A versão cinematográfica, estrelada por Jim Carrey em 2004, faturou US$ 209 milhões mundialmente para um orçamento de US$ 140 milhões, valor insuficiente para a produção de uma sequência.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio