Produtor de Sherlock diz que Trump pode ser o maior erro da humanidade

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O produtor e roteirista Steven Moffat, responsável por Sherlock e Doctor Who, conversou com a EW sobre o final da temporada de Sherlock e não mediu suas palavras na hora de se referir ao novo presidente norte-americano, Donald Trump.

Moffat, que é britânico, foi questionado sobre o personagem Culverton Smith, vilão que apareceu recentemente em Sherlock e que teve sua representação comparada a Donald Trump, presidente republicano dos Estados Unidos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Se considerarmos o senso de como ser uma celebridade ofusque seus outros pecados – neste sentido, eu suponho, tem mais a ver com a criação das celebridades”, falou Moffat, referindo-se ao fato de Culverton ser um personagem de sucesso na série, mas esconder a faceta de serial killer.

“E agora nós temos um homem completamente desqualificado comandando a América”, disse Moffat. “É extraordinário e possivelmente fatal para a raça humana – e isso não é um exagero. Dar a esse homem os códigos nucleares pode ser o maior erro da raça humana. Então eu penso que essa ideia de que as celebridades podem transgredir de maneira distinta dos humanos comuns”.

“[Trump] admitiu seu comportamento de predador sexual – agressão sexual e tudo – e isso é extraordinário para mim. E ele não é a única celebridade assim. Ele apenas se tornou a mais poderosa”, conclui Moffat.

Sherlock encerrou sua quarta temporada neste domingo, 15 de janeiro.

Sherlock | Crítica – 4ª temporada

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio