Joseph Fiennes tem um enorme desafio ao encarnar Fred Waterford, peça importante no regime distópico de Gilead em The Handmaid’s Tale. Agora, em entrevista para a Variety, o ator comentou sobre a dificuldade de encontrar elementos bons em seu personagem em The Handmaid’s Tale.

“Ele se comporta como o mecanismo de um dispositivo e eu preciso encontrar a nuance que o torna complexo nos pequenos momentos que posso. É amável quando temos um flashback mostrando o amor dele com Serena e você percebe a humanidade e a luz. Meu desafio e esforço é quando tenho que reagir com o homem-dispositivo, como chegar até a nuance? São poucos momentos que me oferecem para fazer e isso é meu trabalho, como sempre foi, em tentar identificar esse momento e trazer a humanidade dele ao público”, conta.

Segunda temporada de The Handmaid’s Tale ganha data de estreia no Brasil


“Acho que o ponto de virada para Fred, na minha opinião, acontece no décimo episódio quando ele e Serena decide realizar a cerimônia. Depois daquele momento horrível temos uma breve pausa na qual Fred percebe a brutalidade extrema que cometeu pela primeira vez. É tudo misturado e confuso com a manipulação, poder e controle, mas acho que ele percebe que suas decisões afetam June e o tornam uma completa aberração”, finaliza.

A 3ª temporada de The Handmaid’s Tale está prevista para 2019, ainda sem data de estreia definida.