Mais do que você gosta.

Publicidade

Conexões

Como La Casa de Papel: Coreia se relaciona à série original

Aproveitando o sucesso da versão espanhola

Publicado por Redação

29/06/2022 13:31

La Casa de Papel: Coreia chegou ao catálogo da Netflix, aproveitando o sucesso da produção espanhola, que se tornou um verdadeiro fenômeno na plataforma. Mas muitos estão se perguntando como ela se conecta à série original. Veremos isso agora.

A série original gira em torno de um gênio do crime espanhol, o Professor, que canaliza sua frustração com a desigualdade de riqueza em um assalto contra a Casa da Moeda Real da Espanha.

Continua depois da publicidade

O Professor junto com seus oito recrutas invadem a Casa da Moeda Real, roubando dinheiro e fazendo reféns para ajudar nas negociações com as autoridades.

Ambientada em 2025, La Casa de Papel: Coreia ocorre à beira de uma reunificação entre as Coreias do Norte e do Sul, que criaram uma área econômica conjunta onde o assalto eventualmente ocorre.

Apesar de diferir em aspectos culturais, a nova versão da série incorpora o tema original de disparidade de riqueza – algo também proeminente em Round 6 – e a ação ilegal de quem toma o assunto em suas próprias mãos.

Muitos dos personagens, como O Professor, até têm o mesmo nome de seus homólogos originais. Como tal, La Casa de Papel: Coreia serve como um remake da original, baseado na cultura coreana e na crescente desigualdade social do país.

Diferenças nas abordagens

A principal falha de La Casa de Papel: Coreia é o seu ritmo. Em comparação com os 22 episódios da primeira temporada da série espanhola, a versão coreana tem apenas seis, embora outros seis sejam lançados no final de 2022.

O tempo de execução reduzido do programa resulta em um enredo drasticamente diluído, como Helsinki e Oslo mudando de um enredo LGBTQ+ interessante para quase sem falas.

Isso foi agravado ainda mais pelas semelhanças com o enredo da original , essencialmente eliminando o potencial para os ganchos e o suspense, muitas vezes centrais para o sucesso dos dramas criminais.

Por outro lado, a versão coreana integra habilmente a cultura coreana na trama existente, e não apenas incluindo o K-pop em sua trilha sonora. Por exemplo, o show substitui as máscaras icônicas de Dali por máscaras folclóricas tradicionais coreanas conhecidas como Hahoetal, frequentemente usadas no teatro.

La Casa de Papel: Coreia e a série original estão disponíveis na Netflix.

Sobre o autor

Publicidade