Woody Allen responde acusação de abuso da filha: “Fui investigado e inocentado”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dylan Farrow, filha adotiva de Woody Allen, que denunciou o cineasta por abuso sexual em uma carta aberta em 2014, reforçou as acusações em entrevista ao CBS This Morning.

Em resposta, Allen liberou uma declaração oficial:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Quando essa acusação foi feita pela primeira vez, há 25 anos atrás, ela foi investigada tanto pela Clínica de Abuso Sexual Infantil de Yale quanto pelo Serviço Social de Nova York. Ambas as instituições investigaram por muitos meses e independentemente concluíram que nenhum tipo de abuso havia acontecido. Ao invés disso, eles acharam mais provável que uma criança vulnerável havia sido incentivada a contar a história por sua mãe durante um difícil fim de relacionamento.

O irmão mais velho de Dylan, Moses, disse que viu sua mãe fazendo exatamente isso – instruindo Dylan sobre qual história contar, tentando incutir em sua consciência que seu pai era um predador sexual perigoso. Parece que funcionou – e, tristemente, Dylan parece acreditar no que diz.

Apesar da família Farrow estar usando cinicamente a oportunidade do movimento Time’s Up para repetir essa alegação descreditada, ela não é mais verdadeira agora do que foi no passado. Eu nunca molestei minha filha – como todas as investigações concluíram mais de duas décadas atrás”, escreve o diretor.

Em trechos da entrevista, Farrow repetiu a acusação contra o pai, que ela clama ter violentado-a aos 7 anos de idade.

Recentemente, diversos atores tem se pronunciado sobre seu arrependimento em trabalhar com Allen, pedido desculpas a Farrow ou doando o dinheiro que ganharam nos projetos com o diretor para caridades que trabalham contra o assédio sexual em Hollywood e fora dela.

Um fim (tardio) na carreira de Woody Allen?

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio