Mais do que você gosta.

Publicidade

Sem spoilers

Sandman: Por que adaptação da Netflix conseguiu o impossível

Baseada na obra de Neil Gaiman, série conquistou público e crítica

Publicado por Alexandre Guglielmelli

05/08/2022 20:00

Após uma longa e árdua espera, os fãs de Neil Gaiman (e da DC) podem comemorar: Sandman é uma série excelente. Pelo menos, é isso que indica a reação da crítica especializada. Recém-chegada na Netflix, a série conseguiu o impossível: adaptar a trama original de maneira fiel, e ao mesmo tempo, agradar gregos e troianos.

“Depois de anos aprisionado, Morpheus, o Rei dos Sonhos, embarca em uma jornada entre mundos para recuperar o que lhe foi roubado e restaurar seu poder”, afirma a sinopse oficial de Sandman na Netflix.

Continua depois da publicidade

Baseada na HQ homônima, Sandman tem Tom Sturridge (Mary Shelley), Gwendoline Christie (Game of Thrones), Kirby Howell-Baptiste (Cruella), Boyd Holbrook (Narcos), Charles Dance (Mank), Mark Hammil (Star Wars) e David Thewlis (Harry Potter) no elenco.

O site Digital Spy revelou por que a adaptação de Sandman na Netflix é tão bem sucedida; confira abaixo.

Sandman respeitou a obra original e atualizou a trama

Um dos grandes trunfos da 1ª temporada de Sandman, de acordo com o Digital Spy, é a maneira como a série adapta a trama de Neil Gaiman.

A série faz um ótimo trabalho ao respeitar a trama-base e adaptá-la de maneira fiel – mas com importantes mudanças para adequar o estilo da história à TV e introduzir os personagens de Sandman à audiência moderna.

A influência de Neil Gaiman é claramente sentida nos 10 episódios, assim como costuma acontecer em outras adaptações de suas histórias, como Belas Maldições e Deuses Americanos.

Outro acerto da série envolve o visual. Obviamente, a Netflix investiu pesado para oferecer a Sandman uma vibe cinematográfica, pouco comum em suas produções originais.

O primeiro episódio de Sandman, que mostra o Reino dos Sonhos em incríveis detalhes, parece mais caro do que séries inteiras da Netflix. Só mesmo Stranger Things chega perto do potencial estético do novo hit.

Alguns dos momentos mais interessantes de Sandman acontecem nos primeiros episódios. Os espectadores podem esperar por grandes emoções em capítulos como “Hope in Hell” (no qual Morpheus enfrenta Lucifer) e “The Sound of Her Wings” (onde a Morte faz todo mundo chorar).

Elenco de Sandman dá um show na Netflix

Não se pode falar de Sandman sem citar seu impressionante elenco de estrelas – formado por astros do cinema e da TV.

Como Lucifer Morningstar, o Rei do Inferno, Gwendoline Christie encontra uma das melhores performances de sua carreira, mesmo após sua elogiada atuação como a guerreira Brienne de Tarth em Game of Thrones.

Kirby Howell-Baptiste, a intérprete da Morte, protagoniza uma das tramas mais importantes de Sandman com sensibilidade e beleza. Seu incrível desempenho é uma resposta de peso aos trolls que criticaram sua escalação.

O mesmo pode ser dito sobre Jenna Coleman, a intérprete de Johanna Constantine, e a pouco conhecida Vivienne Acheampong, que dá um show como Lucienne, a bibliotecária do Reino dos Sonhos.

Coríntio, um dos grandes antagonistas da 1ª temporada, ganha charme e peso pela sólida atuação de Boyd Holbrook.

Além disso, Sandman oferece ótimas cenas para atores como Charles Dance (Sir Roderick Burgess), David Thewlis (John Dee) e Joely Richardson (Ethel Cripps) – isso sem falar no Desejo de Mason Alexander Park e no Desespero de Donna Preston (que deveria ter um papel maior).

Tom Sturridge, o intérprete do protagonista Sonho, como de costume, excede todas as expectativas.

“A equipe de Gaiman alcançou o impossível ao criar algo que os fãs esperavam há muito tempo, mas não ousavam sonhar”, conclui a análise do Digital Spy.

A 1ª temporada de Sandman está disponível na Netflix.

Sobre o autor

Alexandre Guglielmelli

Alexandre Guglielmelli

Formado pela PUC Minas, sou especialista em filmes de terror, reality shows e cultura pop. Nas horas vagas, gosto de escrever e oferecer indicações de filmes e séries para os amigos.

Publicidade